Em busca de uma vida equilibrada, muitas vezes é preciso superação

456ab8a06f1420dfe3ca807821a64d21.jpeg

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), mais de 59 mil mulheres deverão ser atingidas pelo câncer de mama e outras 16 mil pelo câncer de colo do útero só em 2018. Apesar do alto número de casos, superar o problema é possível!

Quando detectados precocemente, tanto o câncer de mama quanto o de colo do útero têm grandes chances de cura. Para que isso aconteça, a informação é sua melhor arma!

Pensando nisso, preparamos esse post para que você saiba mais sobre a doença e entenda o que é possível fazer para prevenir e tratar o problema. Acompanhe a leitura!

Que mulheres fazem parte do grupo de risco?

No caso do câncer de mama, embora 5% dos casos estejam relacionados a questões genéticas e hereditárias, os outros 95% estão ligados ao estilo de vida e a fatores ambientais.

Por isso, além daquelas que possuem histórico familiar, fazem parte do grupo de risco mulheres que:

  • vivem nas grandes metrópoles;

  • não possuem filhos ou os têm tardiamente;

  • não amamentaram;

  • fumam ou bebem regularmente;

  • apresentam sobrepeso;

  • são sedentárias;

  • estão em situação permanente de estresse;

  • utilizam hormônios.

Já o câncer do colo do útero é causado por uma mutação genética nas células dessa região e está relacionado a presença de alguns tipos de vírus HPV, o papiloma vírus humano.

Para esse tipo de câncer, além daquelas que possuem histórico familiar da doença, fazem parte do grupo de risco mulheres que:

  • iniciaram a vida sexual precocemente, já que isso aumenta as chances de contrair HPV;

  • possuam grande quantidade de parceiros sexuais, pelo mesmo motivo;

  • contraíram doenças sexualmente transmissíveis como clamídia, gonorreia, sífilis, ou HIV, que ampliam as chances de manifestação do HPV;

  • apresentam alguma deficiência no sistema imunológico ou possuem uma enfermidade que interfira diretamente na sua imunidade;

  • fumam regularmente;

  • usam pílula anticoncepcional por mais de 5 anos;

  • utilizam DIU;

  • tenham passado por 3 ou mais gestações;

  • apresentam sobrepeso.

Como se prevenir contra o câncer de mama e de colo de útero?

A adoção de algumas medidas simples podem diminuir substancialmente as taxas de mortalidade por câncer de mama e de colo de útero. Saiba quais são elas!

Faça exames preventivos periodicamente

No caso do câncer de mama, quando o tumor tem tamanho igual ou inferior a 1 cm, em 90% dos casos é possível conservar a mama e curar a doença.  A mais importante arma para a detecção da doença é a mamografia anual, que deve ser realizada a partir dos 40 anos ou a partir dos 35, em mulheres com histórico de câncer de mama na família.

Os exames preventivos anuais são igualmente importantes no caso do câncer de colo de útero, uma vez que a doença não costuma apresentar sintomas. Geralmente, quando estes se manifestam, o câncer já atingiu estágios avançados e as chances de cura são muito menores.

Para a prevenção do câncer de colo de útero, o exame mais utilizado é o papanicolau, realizado anualmente em mulheres a partir dos 25 anos. Quando detectado em fases iniciais, as chances de cura da doença são entre 80% e 90%.

Por isso é fundamental investir em check-ups preventivos realizados em centros com infraestrutura completa e profissionais especializados em cuidar do seu bem mais precioso: a sua saúde!

Mantenha hábitos saudáveis

Cuidar da alimentação é outra medida importante para quem deseja manter-se livre do câncer de mama e do câncer de colo de útero. É importante evitar ingerir com frequência alimentos gordurosos e ultra processados e priorizar no cardápio o consumo de frutas, verduras, legumes e carnes magras.

Como o sedentarismo também pode contribuir para o surgimento da obesidade, é importante manter o hábito de praticar atividades físicas por no mínimo 30 minutos, cinco vezes por semana.

Além disso, procure manter o stress longe da sua vida e evite hábitos  sabidamente nocivos à sua saúde, como fumar e ingerir bebidas alcoólicas com frequência.

Não abra mão da camisinha

No caso do câncer de colo de útero, outra forma importante de prevenção da doença é evitar a infecção pelo HPV. Portanto, não abra mão de utilizar a camisinha durante o ato sexual, já que essa é a principal forma de contágio.

Vacine-se contra o HPV

Outra opção interessante para prevenir-se contra o câncer de colo do útero é vacinar-se contra o HPV. Estima-se que a imunização pode prevenir até 70% dos casos da doença provocada pelos HPV 16 e 18.

Existem atualmente duas vacinas aprovadas pela Anvisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que podem ser aplicadas em meninas a partir dos 9 anos. A imunização, no entanto, não elimina a necessidade das consultas com o ginecologista e a realização de check-ups anuais.

Como é feito o tratamento?

Uma vez detectada a doença, o tratamento deve ser iniciado imediatamente. Saiba como ele é realizado em cada caso.

Câncer de mama

O tratamento do câncer de mama é determinado pelo oncologista de acordo com o estágio do tumor. Entre as opções disponíveis figuram:

  • Cirurgia: indicado para qualquer tipo de tumor, independente do tamanho e gravidade, o procedimento aumenta as chances de cura e agiliza o tratamento. A retirada completa da mama, denominada mastectomia radical, só é indicada em casos mais graves;
  • Quimioterapia: o tratamento combina vários medicamentos para eliminar as células cancerígenas ou bloquear o seu desenvolvimento. Embora bastante eficaz, provoca diversos efeitos colaterais, como queda de cabelos, náuseas, perda de apetite e dores de cabeça;
  • Radioterapia: caso a quimioterapia não elimine todo o tumor, a radiação direta na região é indicado para complementar o tratamento e exterminar as células cancerígenas.

Câncer do colo de útero

Assim, como acontece como o câncer de mama, o tratamento para o câncer de colo de útero varia de acordo com o estágio do tumor. As opções possíveis são:

  • Cirurgia: dependendo do quão avançado esteja o tumor, os médicos podem retirar apenas o tecido atacado pelo câncer; o colo do útero e todo o útero, em um procedimento que é chamado de histerectomia simples; e também a vagina e os linfonodos da região, em uma histerectomia radical;

  • Radioterapia: nesse tipo de tratamento,  que pode ser feito interna e/ou externamente, a radiação é utilizada para exterminar as células cancerígenas;

  • Quimioterapia: esse tipo de tratamento pode ser utilizado para redução do tumor na fase pré-cirúrgica ou de maneira complementar à radioterapia;

  • Imunoterapia: nesse caso, o próprio sistema de defesa do corpo é utilizado para atacar e destruir as células cancerígenas.

Como você pode ver, a detecção precoce do câncer de mama e do colo do útero aumenta consideravelmente as chances de cura.

Por isso, além de hábitos saudáveis, é fundamental investir em check-ups preventivos realizados em centros como o Vita Check-Up, que conta com infraestrutura completa e profissionais especializados para oferecer a melhor experiência para você!

Gostou de saber um pouco mais sobre as formas de prevenção e tratamento do câncer de mama e de colo do útero? Então conheça agora mesmo o check-up Vita Mulher, desenvolvido especialmente para cuidar da sua saúde!


15378094838365288.jpeg

Com certeza você já ouviu falar em qualidade de vida. Geralmente, a expressão surge em um contexto de busca por mais tranquilidade e tempo para cuidar de si e daqueles de que você mais gosta. Mas afinal, você sabe dizer exatamente o que ela significa?

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), qualidade de vida é “a percepção do indivíduo de sua posição na vida no contexto da cultura e sistema de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações”.

Ainda de acordo com a OMS, o conceito varia bastante de acordo com a cultura em que a pessoa está inserida — em palavras simples, o que é qualidade de vida para um executivo do Rio de Janeiro provavelmente não faz nenhum sentido para um pescador nas Filipinas ou para um monge no Nepal.

A despeito de toda essa diversidade, alguns aspectos são comuns a todos os indivíduos, como o bem-estar físico e psicológico, a capacidade de agir de maneira autônoma e de participar de atividades de recreação e lazer.

E o que é possível fazer, de maneira prática, para alcançar mais qualidade de vida? Algumas medidas simples podem ajudar você a alcançar esse estado de bem-estar. Acompanhe nossas dicas!

3 maneiras de melhorar sua qualidade de vida

1. Invista na criação de um bom ambiente profissional

Embora seja um ambiente influenciado pelo comportamento de pessoas de várias origens, estilos e personalidades, sua atitude individual no trabalho pode exercer um forte impacto na qualidade de vida de todo o grupo.

Muitas vezes, uma pequena mudança de postura mantém você longe do estresse e garante uma melhora na produtividade e no relacionamento com os colegas. Veja o que pode ser feito para garantir mais qualidade de vida no trabalho:

  • Mantenha-se longe das fofocas. Não se envolva e nem divulgue rumores sobre a vida profissional ou pessoal de colegas ou subordinados e, quando eles surgirem, busque outro tema de conversação. Lembre-se sempre de que o próximo alvo pode ser você;

  • Procure focar no seu trabalho e evite comparar sua trajetória na empresa com a de outros colegas;

  • Saber trabalhar em equipe é uma habilidade valorizada em qualquer empresa. Se puder auxiliar um colega, não hesite em fazê-lo e busque aprender com eles sempre que possível;

  • Organize suas tarefas e estabeleça prioridades. Assim, se algo não puder ser entregue a tempo, você poderá avaliar com antecedência e pedir ajuda. Isso evita estresse desnecessário com o acúmulo de tarefas e prazos não cumpridos.

  • Mantenha um bom relacionamento interpessoal com colegas, subordinados e superiores. Cordialidade e a simpatia tornam o ambiente mais leve e produtivo e passam a mensagem de que você é um profissional equilibrado e pronto para assumir novos desafios.

2. Cuide da sua saúde mental

Gozar de boa saúde não se limita a estar bem fisicamente. Tão importante quanto estar atento aos sinais do nosso organismo sobre algo não ir bem é cuidar de nossa saúde mental.

Reservar tempo para estar com a família e os amigos, dedicar-se às atividades de lazer, ter uma vida amorosa satisfatória e não ser excessivamente exigente consigo mesmo são medidas que ajudam a tornar o dia a dia mais leve.

De acordo com a OMS, o Brasil é o país da América Latina com maior prevalência de quadros de depressão e o segundo das Américas, ficando atrás somente dos Estados Unidos.

O problema compromete as relações pessoais e afeta significativamente o desempenho profissional. Além da depressão, doenças como o estresse crônico, a ansiedade e a síndrome de Burnout também podem causar danos graves ao seu bem-estar e diminuir sua qualidade de vida.

Por isso, caso perceba alterações de comportamento importantes, como sono persistente ou insônia, tristeza incessante, desânimo ou irritabilidade excessivos ou apetite alterado, por exemplo, não hesite em buscar ajuda profissional para evitar que o problema se agrave.

3. Faça exames preventivos regularmente

Qualidade de vida e saúde são conceitos indissociáveis. Não há como pensar em uma vida mais prazerosa se a sua saúde não está em perfeito estado, não é mesmo? Para garantir que isso aconteça, a prevenção é sempre o melhor caminho.

Por mais atribulado que seja o seu dia a dia, é importante abrir espaço para a realização de exames preventivos, que diagnosticam eventuais doenças precocemente e ampliam as chances de sucesso do tratamento.

Além disso, um check-up bem feito é capaz de identificar fatores de risco para o desenvolvimento de doenças e modificá-los, evitando problemas de saúde antes mesmo do seu surgimento.

Opte sempre por empresas especializadas em check-ups, que tenham foco na promoção da saúde e realizam diversos exames e avaliações no mesmo lugar. Assim, você cuida do seu bem-estar e otimiza seu tempo!

Como você pode ver, embora o conceito seja bastante amplo, melhorar a qualidade de vida está ao alcance de todos! Aliar os cuidados com o corpo e mente a um ambiente profissional mais saudável são algumas das medidas que você pode tomar para garantir mais bem-estar e uma rotina menos estressante!

Se você deseja fazer um check-up completo, com comodidade e conveniência, entre em contato com o Vita Check-Up Center! Será um prazer ajudar você a cuidar da sua saúde!

 


15399944169976268.jpg

Segundo a International Diabetes Federation (IDF), o Brasil está em 4º lugar no ranking mundial de países com população diabética: já são 13 milhões de pacientes – e nem todos têm conhecimento disso.

Siga na leitura e saiba mais sobre Diabetes, causas, tratamentos e a importância de fazer check-up regularmente para manter a saúde em dia mesmo com este quadro.

O que é Diabetes?

É um tipo de doença crônica que ocorre quando o pâncreas não produz insulina suficiente ou quando o corpo não pode usar efetivamente a insulina que produz.

A insulina é um hormônio importante, que regula o volume de glicose no sangue e a movimenta para as células do corpo através da corrente sanguínea.

Principais sintomas

Descrevemos a seguir os principais sintomas desse problema, mas lembre-se: apresentar alguns destes sinais não implica necessariamente que você possui Diabetes – também por isso é tão importante realizar check-ups periodicamente e verificar o status de sua saúde.

  • Aumento da sede;
  • Micção frequente;
  • Fome extrema;
  • Perda de peso inexplicável;
  • Presença de cetonas na urina (cetonas são um subproduto da quebra de músculo e gordura que acontece quando não há insulina suficiente disponível);
  • Fadiga constante e sem razão aparente;
  • Irritabilidade;
  • Visão embaçada;
  • Cicatrização mais lenta do que o habitual;
  • Infecções frequentes – de pele, nas gengivas ou na área vaginal.

Tipos de Diabetes

Diabetes tipo 1

Anteriormente conhecida também como insulino-dependente, juvenil ou de início na infância, se caracteriza pela produção deficiente de insulina, o que requer a administração diária de insulina.

A causa exata da Diabetes tipo 1 é desconhecida. Acredita-se que ele possa ser causado por uma combinação de suscetibilidade genética e fatores ambientais – o peso não é encarado como um fator de risco neste tipo.

Diabetes tipo 2

Denominado anteriormente não insulino-dependente, ou de início na idade adulta, ele ocorre por conta do uso ineficaz da insulina pelo organismo.

Este é o tipo mais popular entre os portadores de Diabetes em todo o mundo – o que se deve aos níveis de excesso de peso corporal e inatividade física.

Até recentemente, esse tipo de Diabetes era visto apenas em adultos, mas casos envolvendo crianças estão se tornando mais comuns a cada dia.

Os sintomas podem ser semelhantes aos do Diabetes tipo 1, mas geralmente são menos marcantes.

Caso o paciente não faça check-up periodicamente, a doença pode ser diagnosticada vários anos após o início – infelizmente só quando alguma complicação já está instalada no organismo.

Pré-Diabetes

No Pré-Diabetes – que pode levar ao Diabetes tipo 2 – as células se tornam resistentes à ação da insulina e o pâncreas torna-se incapaz de produzir insulina suficiente para superar essa resistência. Ao invés de se depositar nas células, onde é necessária para a produção de energia, a glicose passa a se acumular na corrente sanguínea.

As causas ainda são incertas – mas acredita-se que fatores genéticos e ambientais também tenham um papel no desenvolvimento do diabetes tipo 2.

O excesso de peso é um forte fator de risco para o surgimento do Diabetes tipo 2, mas nem todos os pacientes com tipo 2 estão necessariamente acima do peso.

Diabetes Gestacional

Durante a gravidez, a placenta produz hormônios que dão suporte à gravidez. O problema é que em muitos casos esses hormônios tornam as células mais resistentes à insulina.

O Diabetes Gestacional ocorre durante a gravidez, o que aumenta os riscos de complicações durante o período de gestação e no parto. Tanto as mães quanto os bebês correm o risco de desenvolver Diabetes tipo 2 futuramente.

O diagnóstico do Diabetes Gestacional é realizado através do check-up pré-natal e não através de sintomas relatados.

Qualidade de vida X Diabetes

É importante esclarecer: o Diabetes pode afetar sua qualidade de vida tanto quanto sua qualidade de vida pode afetar seu Diabetes.

Quando você está se sentindo bem, mantendo sua rotina de exercícios, check-up sempre em dia, bons hábitos alimentares e com a saúde emocional em equilíbrio, sobra mais energia para cuidar bem do seu Diabetes. Isso proporciona mais bem-estar no dia-a-dia e garante mais saúde a longo prazo.

Manter-se saudável aumenta ainda mais a sua qualidade de vida no Diabetes – e o check-up periódico tem muita importância nisso.

Importância do check-up no Diabetes

Check-ups regulares são uma ferramenta importante na gestão do Diabetes – esteja o paciente se sentindo bem ou não.

O check-up mede sua saúde em um cenário mais global, proporciona mais informação sobre o cuidado com Diabetes e ajuda a prevenir e tratar as complicações da doença. Dependendo da rotina de controle, o médico responsável pode solicitar um check-up uma ou duas vezes por ano.

Em caso de complicações, é preciso fazer um check-up completo em intervalos menores. Além de se consultar com seu médico de confiança, é importante consultar também profissionais de outras especialidades, como oftalmologista, um especialista vascular, entre outros. Realizar exames preventivos em uma clínica com estrutura adequada permite ao paciente ser encaminhado aos especialistas necessários.

Esperamos que este artigo tenha sido útil para entender a relação entre o Diabetes e a importância do check-up como garantia de mais qualidade de vida. Acompanhe nosso blog e receba mais dicas para cuidar de sua saúde.


15378843541507785.jpg

Com o acesso à internet cada vez mais fácil e rápido, muitas pessoas acabam utilizando o vasto campo de pesquisa que ela proporciona para obter informações sobre os mais diversos assuntos, inclusive sobre saúde.

Ao apresentar um sintoma diferente, as pessoas buscam no mundo online possíveis definições para este problema. Essa ação é tão recorrente que uma em cada vinte pesquisas no Google tem relação com o assunto – conforme dados do próprio site de busca.

Dependendo da situação, há indivíduos que até se automedicam baseados em pesquisas realizadas na rede mundial de computadores. Essa prática pode acabar comprometendo a saúde do paciente e até mesmo desencadear outros problemas. É importante enfatizar sempre que o diagnóstico seguro só é possível com um médico especializado, que irá avaliar o quadro clínico e os exames laboratoriais ou de imagem para, assim, iniciar um tratamento adequado.

Na sequência deste artigo, vamos falar um pouco mais sobre os cuidados que devemos ter com o diagnóstico via internet e a importância de seguir um acompanhamento médico para esclarecer todas as suas dúvidas. Confira!

Por que a internet se tornou o primeiro canal buscado pelos pacientes quando o tema é saúde?

Conforme mencionado no início, a facilidade, rapidez e as informações variadas fizeram da internet o principal canal de pesquisa dos brasileiros, inclusive quando o assunto é saúde. Segundo pesquisa encomendada pela seguradora Bupa ao Instituto Ipsos e à London School of Economics, oito em cada 10 brasileiros usam a internet para buscar informações sobre sua saúde. Cerca de 45% dos pacientes procuram hospitais, 68% consultam a internet sobre medicamentos e 41% querem conhecer as experiências de outras pessoas.

Há alguns motivos, além da praticidade, que fazem os brasileiros buscarem o diagnóstico via internet, como:

1. Falta de tempo

Com a correria do dia a dia, muitas pessoas encontram dificuldades para agendar consultas e exames em horários que não comprometam as suas atividades profissionais. Por conta disso, elas utilizam a internet para pesquisar sobre sintomas, doenças, resultados de exames e medicamentos.

Nunca é demais ressaltar que, mesmo o tempo curto não pode ser impeditivo para que esses pacientes deixam de lado a importante informação proveniente de um diagnóstico completo, feito por um médico.

2. Economia

Além da falta de tempo, a questão financeira acaba sendo outro motivo que leva as pessoas a se arriscarem no diagnóstico via internet. Manter um plano de saúde ou realizar consultas e exames na rede particular pode ser algo caro para muitos pacientes. Já o atendimento na rede pública, apesar de gratuito, pode ser demorado.

Esses fatores levam as pessoas a buscarem na internet informações  sobre saúde e, algumas vezes, um possível diagnóstico para seus sintomas.

Pesquisando o diagnóstico via internet

Ao pesquisar o termo “gripe” no principal buscador da internet, o paciente terá acesso a  cerca de 43.300.000 resultados. Como reconhecer, em meio a tantos resultados de pesquisas virtuais, quais informações são confiáveis? E como proceder após encontrar os materiais pesquisados? Eis algumas dicas.

1. Cuidado com as fontes

Pesquise sempre em sites oficiais de associações ou clínicas médicas e profissionais reconhecidos. Pesquisas acadêmicas também são boa referência, ainda que possam ter uma linguagem mais técnica.

2. Seja específico

Usar termos fracos na busca oferecerá respostas igualmente fracas. Sintomas comuns podem estar presentes em problemas de saúde simples ou mais complexos, por isso usar mais palavras na busca torna o retorno mais seguro.

3. Fique calmo, independente do resultado

Mesmo que sua pesquisa traga um resultado assustador, mantenha a calma. Na verdade, por mais bem elaborada que seja sua pesquisa,  a internet pode fornecer respostas equivocadas.

4. Procure um médico

Assim que possível, procure orientação médica. Evite chegar no consultório com o diagnóstico pronto, afirmando que você possui determinada doença. Pela internet você só pode levantar hipóteses, apenas o médico possui conhecimento e capacitação para identificar o real problema e propor o tratamento apropriado.

Vale relembrar que somente um profissional tem capacidade de avaliar o paciente e oferecer um diagnóstico seguro, pois na consulta ele avaliará o paciente como um todo e não apenas um sintoma isolado. Durante esse contato com o médico especialista é que o paciente deve esclarecer todas as suas dúvidas sobre os sintomas e medicações.

5. Não comece tratamento sem consultar médico

Por mais tentador que possa parece, nunca inicie um tratamento a partir de recomendações via internet. O mundo cibernético está repleto de pessoas que podem estar atrás de seu dinheiro e, além do mais, a situação pode piorar com indicações equivocadas.

Relação entre médico e paciente é insubstituível

A tecnologia chegou para nos ajudar em todos os setores de nossa vida, incluindo na área de saúde. Se usada de modo correto e com bom senso, pode trazer benefícios.

O perigo existe quando o internauta passa para a automedicação e o não cumprimento do tratamento indicado pelo médico. São comuns os casos de pessoas que começam a tomar remédios depois de lerem na internet o depoimento de outros pacientes que utilizaram determinada medicação e ficaram bem rapidamente.

Vale a pena consumir conteúdos digitais de clínicas e profissionais idôneos. Eles costumas oferecer informações importantes para uma vida mais saudável e equilibrada, podendo falar de alimentação, hábitos cotidianos, cuidados preventivos e até oferecer orientações mais básicas – como a produção de um soro caseiro, por exemplo.

Nada substitui a relação entre médico e paciente. Nesse momento, o paciente deve fazer perguntas e tirar as dúvidas para sentir-se seguro.

Já o médico, deve conversar com a pessoa, perguntar os detalhes do seu estado de saúde e explicar com calma a possível doença, o tratamento e os exames. Para complementar esse suporte, o médico também pode indicar aos pacientes sites que são seguros e apresentam boas referências sobre saúde.

Neste artigo, destacamos que o médico é o profissional apto a identificar as verdadeiras causas dos sintomas e prescrever tratamento, proporcionando a qualidade de vida tão sonhada pelos pacientes. A realização de check-ups também é essencial para manter a saúde em dia, deixando a internet para outras ocasiões.

Para continuar por dentro de notícias sobre saúde e bem-estar, continue acompanhando as publicações do nosso blog!


15379013454937394.jpg

Olhar no espelho e gostar da imagem que você vê refletida é um desejo legítimo. No entanto, é importante ter em mente que beleza e saúde devem andar juntas e que a busca por um corpo mais saudável não precisa ser marcada por sacrifícios e excessos.

Tomando alguns cuidados simples, porém eficazes, é possível aumentar a autoestima, melhorar a imagem corporal e ganhar mais saúde e disposição. Quer saber como? Acompanhe a leitura!

4 dicas simples para aliar beleza e saúde

1. Siga uma dieta saudável e sem restrições excessivas

Para conquistar um corpo mais bonito e em forma sem abrir mão da saúde é importante seguir uma dieta equilibrada, que seja sustentável em longo prazo e saborosa.

Evite estratégias radicais, que riscam grupos alimentares inteiros do cardápio e estimulam restrições excessivas.

Além de muito difíceis de serem seguidas por muito tempo, elas não fornecem todos os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo e a manutenção da sua saúde e podem desencadear episódios de compulsão alimentar.

O ideal é buscar a orientação de um profissional especializado, para que ele possa traçar um plano alimentar adequado às suas necessidades nutricionais e que mantenha você longe do sobrepeso e da obesidade sem sofrimento.

2. Busque uma atividade física que lhe traga prazer

Não importa se a atividade física do momento é a zumba, o crossfit ou os exercícios funcionais: para que você possa aderir a um plano de exercícios e abandonar o sedentarismo de vez, é essencial que ele lhe traga prazer.

Por isso,  se a ideia é aliar saúde e beleza sem cometer excessos ou se submeter a sacrifícios desnecessários, encontre uma atividade física que esteja alinhada com seus gostos e interesses.

Detesta ficar fechado na academia? Que tal buscar grupos que realizam atividades ao ar livre, como caminhadas ou corridas? Não se sente à vontade nas aulas de dança? Experimente outros tipos de atividades coletivas, como as classes de spinning ou de boxe. Tênis, natação, judô, muay thai, yoga, pilates… Certamente há um esporte por aí que combina com você.

Mais importante do que a intensidade do exercício escolhido é a constância com que você se dedica a ele. Quando você pratica uma atividade física que lhe traz prazer, as chances de adesão aumentam e você consegue colher mais benefícios tanto para sua saúde quanto para sua beleza.

3. Realize exames preventivos regularmente

Seja antes de iniciar uma atividade física, ao buscar ajuda para perder aqueles quilos extras ou mesmo como parte de sua rotina pessoal, realizar exames preventivos é uma das maneiras mais eficientes de aliar beleza e saúde.

Além de detectar precocemente problemas de saúde e eventuais deficiências nutricionais que possam estar comprometendo a saúde da sua pele, unhas e cabelos, por exemplo, os check-ups podem ser aliados de peso no sucesso de dietas e programas de exercícios físicos.

Algumas empresas especializadas em realizar exames preventivos realizam avaliações  de composição corporal, que trazem informações com o índice de massa corpórea (IMC), percentuais de gordura e massa magra e metabolismo corporal, indicadores importantes para a prescrição de treinos e planos alimentares individualizados.

4.  Cuide da qualidade do seu sono

Dormir mal traz enormes prejuízos à sua beleza e saúde. Além de prejudicar sua capacidade de concentração e memorização e afetar negativamente o seu humor, a falta de descanso adequado e regular pode favorecer o ganho de peso.

Isso porque dormir pouco diminui os níveis no organismo de um hormônio chamado leptina, que regula os níveis de saciedade, e aumenta os níveis de grelina, que estimula o apetite. Em palavras simples, você sente mais fome e demora para se sentir saciado.

Além disso, a baixa qualidade do sono promove o aparecimento de acne e o envelhecimento precoce, afeta a capacidade da pele de se proteger dos raios ultravioleta ao diminuir a produção de antioxidantes e  promove inflamações e disfunções na barreira hídrica da pele, deixando-a com aspecto ressecado.

Por isso, faça do sono uma de suas prioridades e procure descansar entre 8 a 10 horas todas as noites. Caso esteja enfrentando dificuldades recorrentes para dormir por mais de duas semanas, é importante consultar um médico para descartar a presença de algum problema de saúde.

Como você pode ver, beleza e saúde podem e devem caminhar juntas. Medidas extremas e sem acompanhamento médico podem trazer sérios danos ao seu organismo. Moderação e constância são palavras-chaves para quem quer conquistar bons resultados!

E então, gostou de saber como é possível aliar beleza e saúde tomando alguns cuidados simples? Se você deseja fazer exames preventivos completos, conheça agora mesmo as opções disponíveis no Vita Check-Up e venha cuidar do seu bem-estar!


Copyright 2018 VitaCheckup Center. Todos os Direitos Reservados.