A vida moderna influi em nosso bem-estar e o check-up também

15371257816665034.jpeg

De acordo com a International Stress Management Association (ISMA), o Brasil ocupa a segunda posição no ranking dos dez países mais estressados do mundo, perdendo apenas para o Japão.

Não é para menos. A vida atribulada nas grandes cidades, com agendas lotadas, trânsito complicado e pouco tempo para dedicar-se à família, ao lazer e até aos cuidados com a própria saúde cobram um preço alto de quem vive essa realidade e acaba engrossando as estatísticas.

A tensão, que parecia passageira, não raramente acaba se transformando em uma espécie de angústia, que se reflete também em sintomas físicos, como dores de cabeça, estômago, hipertensão, dificuldade para dormir e irritabilidade.

Para a maioria das pessoas, desacelerar totalmente não é uma opção. A boa notícia é que é possível reverter esse quadro e cuidar da sua saúde física e mental antes que o estresse atinja níveis mais graves, que exijam afastamento do trabalho e cuidados especiais.

Tomando algumas medidas simples, porém altamente eficazes, é possível ganhar mais qualidade de vida e bem-estar em todas as esferas da sua vida e evitar problemas mais sérios. Ficou interessado? Então acompanhe a leitura e saiba mais!

Como garantir mais qualidade de vida, saúde e bem-estar?

A busca por mais qualidade de vida e bem-estar passa principalmente pela adoção de um estilo de vida mais saudável.

No entanto, não é preciso e nem recomendado fazer mudanças radicais na rotina, que acabam gerando mais estresse e são difíceis de serem sustentadas em longo prazo.

Invista em pequenas mudanças de hábitos, que costumam trazer resultados mais significativos e sustentáveis. Saiba o que é possível fazer agora mesmo!

1. Pratique atividades físicas regularmente

Manter o hábito de exercitar-se com frequência não está relacionado somente a questões estéticas, mas principalmente com a manutenção da saúde física e mental.

A prática regular de atividade física fortalece músculos, ossos e articulações, preservando a flexibilidade e aumentando as chances de que você chegue à terceira idade ativo e independente.

Exercitar-se também fortalece o sistema imunológico, ajuda a combater a obesidade e diversas outras doenças. Mais importante, a atividade física é a melhor aliada de quem quer mandar o estresse para longe, já que ajuda o organismo a liberar endorfinas, hormônio ligado à sensação de relaxamento e bem-estar.

Por isso, é essencial que você inclua o hábito de exercitar-se entre suas atividades diárias. É importante ter em mente que mais importante que a intensidade da prática é a constância. Você pode começar, por exemplo, fazendo pequenas caminhadas próximo de casa ou do trabalho ou mesmo trocando o elevador pela escada.

Também não é incomum encontrar executivos e outros profissionais com agenda atribulada que colocam a culpa do sedentarismo na falta de rotina de suas atividades.

No entanto, 45 minutos de exercícios físicos por dia, 3 vezes por semana, já promovem mudanças significativas na qualidade de vida e na sua saúde e não necessariamente precisam ser realizados em academias ou espaços fechados. O importante é colocar o corpo em movimento!

2. Mantenha uma alimentação saudável

Uma alimentação equilibrada é o ponto de partida para uma vida com mais  saúde e bem-estar. Por isso, é importante estar atento ao que você coloca no prato, evitando o excesso de açúcar, farinha branca e frituras.

Dê preferência a uma alimentação mais natural, que privilegie frutas, verduras, legumes, cereais e carnes magras. O ideal é limitar tanto quanto possível o consumo de alimentos processados, ricos em sódio, corantes e conservantes.

Além de evitar a obesidade, um cardápio saudável ajuda você a ter mais disposição para enfrentar todas as atividades do dia a dia e atua na prevenção de uma série de doenças crônicas, como hipertensão e diabetes.

É uma boa ideia investir, por exemplo, em vegetais escuros, como espinafre e brócolis, que são ricos em potássio, ácido fólico e vitaminas A, C e do complexo B, que ajudam a garantir o bom funcionamento do sistema nervoso.

Também é uma excelente medida incluir mais peixes e frutos do mar no cardápio, já que eles são ótimas fontes de zinco e selênio, que atuam na diminuição da fadiga e da ansiedade.

Banana, aveia e queijo também devem fazer parte da dieta, pois são ricos em triptofano, que ajuda a combater o estresse ao atuar na produção de serotonina e a dormir melhor.

3. Não abra mão de uma boa noite de sono

Por falar em dormir melhor, ao lado da alimentação saudável e da prática de exercícios físicos, o descanso adequado completa a tríade de boas práticas para quem busca mais qualidade de vida e bem-estar.

Dormir mal ou em quantidade insuficiente de horas provoca fadiga, irritabilidade e, em longo prazo, afeta a capacidade de concentração e memorização, prejudicando seu rendimento profissional.

A privação de sono ainda eleva as quantidades de cortisol no organismo, o chamado hormônio do estresse, e pode aumentar suas chances de ganhar peso extra, já que desregula a leptina, hormônio responsável pela sensação de saciedade, e aumenta o desejo por refeições ricas em açúcar ou gordura.

Por isso, quem quer viver longe do estresse e com mais qualidade de vida precisa fazer do descanso uma prioridade e tentar dormir entre 7 a 10 horas por noite.

Algumas medidas simples, como manter a temperatura e luminosidade do ambiente adequadas, evitar refeições pesadas no mínimo duas horas antes de ir para a cama e não levar para o quarto nenhum tipo de eletrônico — incluindo tablets, smartphones e computadores — costumam ajudar a melhorar a qualidade do sono.

Outra possibilidade para quem sofre com noites mal dormidas é tentar a técnica do recondicionamento, que consiste em passar a utilizar a cama apenas para dormir e para as relações sexuais.

Em outras palavras, qualquer atividade que você tenha o hábito de realizar na cama — seja comer, ler ou assistir televisão — deve ser transferida para outro local.

A ideia é deitar-se somente quando estiver com sono e, caso não consiga dormir, levantar-se e dedicar-se a outra atividade — como ler um livro relaxante no sofá. Só volte a deitar na cama quando sentir sono novamente. Dessa maneira, o organismo passa a associar o hábito de ir para a cama com a necessidade de dormir e o problema tende a desaparecer gradualmente.

No entanto, se você vem enfrentando dificuldades para dormir de maneira recorrente, é importante buscar ajuda médica para que o profissional possa fazer o diagnóstico correto e recomendar o tratamento mais adequado para o seu caso.

4. Busque realizar atividades prazerosas

Para ter uma vida saudável e equilibrada, tão importante quanto cuidar do seu corpo, é cuidar da sua mente.

Por isso, além de buscar uma alimentação mais saudável, praticar exercícios físicos e descansar, reserve um espaço na sua agenda para o lazer. Buscar realizar atividades prazerosas ajuda você a quebrar a rotina e a encontrar um estado de bem-estar psíquico.

Isso porque o tempo dedicado ao lazer está diretamente relacionado ao aumento dos níveis de ocitocina no organismo, hormônio considerado um dos estabilizadores do estresse. Além disso, realizar atividades relaxantes estimulam os centros de recompensa do cérebro, o que leva a liberação de hormônios como a serotonina e endorfina, que promovem o bem-estar e afastam o estresse.

Pode ser fazer um churrasco com a família, dar um passeio no parque, cuidar de um animal de estimação… O importante é não abrir mão de fazer algo que traga mais alegria e prazer ao seu cotidiano!

5. Cultive seus vínculos sociais

Responda rápido: há quanto tempo você não telefona para aquele colega de faculdade do qual gostava tanto? Ou não coloca em prática aquele plano de ir tomar um café com um amigo de infância?

Se você imediatamente pensou que não tem tempo para isso e que mal consegue se dedicar à família, talvez seja interessante rever suas prioridades.

De acordo com um estudo desenvolvido na Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, e publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, a capacidade de estabelecer laços sociais tem influência direta não só no bem-estar físico como emocional de uma pessoa.

Com base em levantamentos anteriores, a pesquisa consegue estabelecer relações entre a longevidade de adultos e o número de suas conexões sociais. Obviamente que, com a dinâmica de vida das grandes cidades, é mais difícil dedicar muitas horas do dia a cultivar essas relações, como é comum na infância e na adolescência.

No entanto, os benefícios físicos e emocionais provenientes desse tipo de conexão fazem valer o esforço: que tal combinar, por exemplo, um almoço perto do trabalho, ou uma ida ao cinema com aquele seu amigo do colégio e a esposa dele, que você ainda não conhece?

6. Identifique claramente as fontes de estresse

Uma das maneiras mais eficientes de gerenciar o estresse e garantir mais bem-estar é identificar adequadamente as fontes do problema.

Por isso, sempre que momentos de tensão extrema se aproximarem, é importante monitorar seu estado de espírito com cautela e buscar causas pontuais para o problema. É importante evitar respostas generalistas como “é a natureza do meu trabalho”, ou “na minha profissão é assim”.

Em vez disso, concentre seus esforços em detectar exatamente o que está causando o incômodo para saber como agir em busca da solução, que pode estar em encontrar mais recursos para evitar a sobrecarga de trabalho, delegar tarefas ou mesmo em encontrar uma maneira de diminuir o trajeto de sua casa para o trabalho.

Uma vez identificados esses gatilhos, compartilhe as questões com familiares ou colegas de trabalho com os quais você se sinta confortável. Como são pessoas próximas a você, eles podem oferecer sugestões importantes de como lidar com esses problemas e levar uma vida mais leve.

7. Tenha objetivos claros em mente

Para conseguir manter a motivação em meio a uma rotina agitada, ter objetivos claros em mente é fundamental. Cumprir uma lista infindável de compromissos e se dedicar a projetos sem vislumbrar nenhum tipo de recompensa pessoal ou profissional é um dos caminhos mais curtos para uma crise de estresse.

Por isso, em algum momento, é importante parar e se perguntar onde você quer chegar. Quais são os seus objetivos pessoais e profissionais em curto, médio e longo prazo? Essas metas são realistas ou você está tentando queimar etapas? E o que você realmente precisa fazer para alcançá-las?

Não é incomum encontrar executivos que estão trabalhando muitas horas além do que julgam necessário sem qualquer objetivo em mente, apenas porque acreditam que é o certo a ser feito.

Traçar planos realistas, e saber exatamente o que precisa ser feito para chegar até eles, ajuda você a se manter mais focado e motivado e evita que você gaste energia desnecessariamente.

8. Abandone de vez o cigarro

Certamente você já ouviu falar inúmeras vezes sobre o quanto o hábito de fumar e uma vida saudável são incompatíveis. É de conhecimento geral que o tabagismo aumenta o risco de sofrer um acidente vascular cerebral e de contrair doenças cardíacas e câncer de pulmão, entre uma série de outras enfermidades.

Além disso, fumar traz prejuízos para todos aqueles que convivem com você. Estima-se que a cada três cigarros fumados, o fumante passivo consome um por tabela. Além disso, a fumaça que se espalha pelo ambiente tem o triplo de nicotina e monóxido de carbono e até 50 vezes mais substâncias cancerígenas do que aquela inalada pelo próprio fumante.

A boa notícia é que os benefícios proporcionados pelo abandono do hábito podem ser sentidos muito rapidamente. Em 48 horas, a maior parte da nicotina é eliminada do organismo, o que ajuda a melhorar o olfato e o paladar.

Entre 3 a 9 meses longe do cigarro, os problemas respiratórios diminuem consideravelmente, já que há uma melhora na função pulmonar e na circulação sanguínea e, já no primeiro ano, o risco de contrair doenças cardiovasculares cai pela metade.

Estima-se que após 10 anos longe do fumo, os riscos de contrair um câncer de pulmão chegam a ser até 50% menores. Sem dúvida, vale a pena o esforço, não é mesmo?

9. Evite a automedicação

Você sente uma dor de cabeça e, na pressa para seguir para outro compromisso, toma um comprimido qualquer e prossegue com suas atividades. Na semana seguinte, sente febre e indisposição, conclui que está ficando gripado e busca um analgésico na farmácia.

Acredite, você não está sozinho. De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade (ICTQ), o Brasil é recordista mundial em automedicação. Segundo o levantamento, 40% dos brasileiros têm o hábito de fazer um autodiagnóstico usando a internet e 72% se medicam por conta própria.

No entanto, a medida, apesar de corriqueira, pode trazer danos sérios à sua saúde. Remédios frequentemente utilizados na automedicação, como o paracetamol e a dipirona, quando utilizados em doses inadequadas, podem trazer danos irreversíveis ao fígado e até mesmo agravar problemas de saúde.

Além disso, febre e dores de cabeça persistentes exigem investigação detalhada para certificar-se de que não são sinais de uma outra enfermidade mais importante. Também é importante considerar que investigações de sintomas na internet, por mais tentadoras que possam parecer, não podem substituir jamais a relação médico-paciente.

Ainda que você busque informações em sites confiáveis, de instituições de saúde, hospitais e universidades, elas não substituem o diagnóstico profissional, que leva em consideração variáveis importantes, como o exame físico, os exames complementares de diagnósticos e seu histórico médico e familiar.

Por isso, sempre que sentir algum desconforto, ainda que pareça corriqueiro, não hesite em buscar um médico. Ele é o profissional adequado para prevenir, diagnosticar e tratar qualquer tipo de enfermidade.

10. Não abra mão de fazer um check-up médico periódico

Seja qual for a sua idade, você certamente já deve ter ouvido falar sobre a importância de realizar um check-up médico periódico. Esse monitoramento da sua saúde vai ajudar a garantir mais qualidade de vida e bem-estar para quem tem um dia a dia agitado.

Toda visita de rotina ao médico é de extrema importância para manter sua saúde. Essas avaliações ajudam a observar o status de sua saúde e hábitos de vida atuais e a prevenir problemas futuros.

O check-up de saúde complementa o acompanhamento realizado pelo seu médico nas consultas, incluindo exames laboratoriais e outras avaliações. Ao contrário do que muita gente imagina, essa não deve ser uma preocupação apenas para quem tem 40 anos ou mais.

Com o estilo de vida atual de grande parte da população – hábitos alimentares de baixa qualidade, ausência de exercícios físicos, correria e altos índices de estresse –  essa rotina de check-up é indicada já a partir da adolescência.

Isso ajuda na detecção de riscos, aumentando a longevidade e o bem-estar de cada um. Além disso, é uma ótima maneira de melhorar as relações médico-paciente, ajudando o profissional a entender melhor o histórico das pessoas que estão sob seus cuidados.

Quando fazer um check-up médico?

Costuma-se definir a necessidade de um check-up de acordo com o estado de saúde do paciente, seu histórico médico e herança genética, entre outros fatores. A indicação geral é do mesmo ser realizado anualmente, porém, havendo mudanças no estado de saúde da pessoa, surgimento de novos sinais e/ou sintomas, ele deve ser antecipado.

Especialistas acreditam que o ideal sempre é de uma abordagem completa. Mas, nos casos que envolvem indivíduos saudáveis e sem histórico crítico, os médicos podem sugerir uma avaliação mais seletiva.

Check-ups regulares costumam contemplar os seguintes exames:

  • Hemograma completo;

  • Exames de Fezes e Urina;

  • Colesterol e frações;

  • Glicemia, insulina, hemoglobina glicada;

  • Dosagem de Hormônios da Tireoide;

  • HIV / Hepatite B;

  • Avaliação de composição corporal e cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC);

  • Avaliação ultrassonográfica do abdome, da tireoide e da próstata em homens e, nas mulheres, também da mama e da pelve;

  • Ecocardiograma colorido;

  • Doppler de carótidas;

  • Eletrocardiograma e teste ergométrico;

  • Radiografia do tórax;

Existem ainda exames específicos de acordo com o perfil e sexo do paciente:

  • Mulheres: Colposcopia e Citologia vaginal, Mamografia, dosagem de hormônios sexuais femininos;

  • Homens: Avaliação urológica (incluindo o toque retal) e dosagem de PSA.

Benefícios do check-up periódico

Além de proteger sua saúde e bem-estar, fazer um check-up regularmente também evita questões como:

  • Custos inesperados: o check-up regular de saúde diminui o risco de disfunções que podem se tornar mais severas ou urgentes de forma inesperada, exigindo intervenções e procedimentos que podem levar a gastos médicos significativos, além da interrupção da atividade profissional.
  • Descontrole do quadro médico: os exames são realizados com base na idade, no sexo, na história e nas escolhas de estilo de vida de cada paciente. Assim, é possível identificar problemas logo no início, tornando mais fácil revertê-los.

Para realizar os exames, busque sempre clínicas especializadas em check-up completo, com um corpo médico amplamente capacitado e um atendimento baseado em total empatia e acolhimento ao paciente.

Como você pode ver, mesmo quem tem uma agenda atribulada e precisa lidar com o estresse típico da vida moderna pode tomar algumas medidas para ter uma vida equilibrada, com mais saúde, bem-estar e qualidade de vida.

Se você está buscando um espaço para cuidar da sua saúde e realizar seu check-up médico com eficiência e comodidade, o VITA Check-up Center é uma das melhores opções no Rio de Janeiro – e a única da região a possuir a certificação ISO 9001:2018 de gestão da qualidade.

Além dos programas de check-up voltados para o setor corporativo e para os mais diversos perfis de clientes, o VITA ainda oferece avaliação de estresse emocional, avaliação postural, status de imunização e acompanhamento posterior.

Dentre os diversos serviços adicionais oferecidos estão a vacinação de adultos e crianças e testes genéticos, como o de nutrigenômica, contribuindo para um modelo de dieta absolutamente  individualizado. Além disso, outros exames podem ser acrescentados a pedido do paciente ou do médico, garantindo uma experiência completa.

E então, gostou de saber um pouco mais sobre as medidas que você pode tomar para gerenciar o estresse e ganhar mais qualidade de vida? Se quiser conhecer outras dicas de saúde e bem-estar, acompanhe o blog do VITA Check-up Center!


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


Copyright 2018 VitaCheckup Center. Todos os Direitos Reservados.