Tudo o que você precisa saber sobre vacinação de adultos

Vita-1.jpg

A importância da imunização não se restringe à infância – a vacinação de adultos também é um cuidado essencial com a saúde.

Saiba mais a seguir e descubra como manter-se corretamente imunizado de acordo com o calendário de vacinação de adultos.

5 benefícios da vacinação de adultos

Veja abaixo cinco razões importantes pelas quais os adultos precisam manter suas vacinas atualizadas:

1) Proteção contra doenças mais comuns em adultos

O envelhecimento aumenta o risco de contrair certas doenças – como herpes zoster e doenças pneumocócicas.

2) Reforço para garantir a eficácia das vacinas

Com o passar dos anos, a proteção contra algumas vacinas recebidas na infância pode perder o efeito. Então o reforço é necessário para garantir proteção contínua. Um bom exemplo é a vacina contra o tétano / difteria (Td): é recomendável tomar uma dose de reforço para adultos a cada 10 anos.

3) Proteção contra uma doença nova e diferente

Idade, estilo de vida, emprego, planos de viagem ou condições de saúde podem colocar a pessoa sob o risco de contrair alguma doença nova ou diferente das previstas no calendário vacinação na época da infância.

Adultos que trabalham em instituições de saúde ou que têm múltiplos parceiros sexuais correm risco de hepatite B. Já adultos com certas condições crônicas de saúde correm risco de contrair doenças pneumocócicas.

Além disso, alguns destinos turísticos podem exigir vacinas específicas – então o viajante vai precisar do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia – CIVP.

4) Surgimento de novas vacinas

Para proteger pessoas de todas as idades, os cientistas estão trabalhando duro para desenvolver novas vacinas.

A vacina contra papilomavírus humano (HPV) e a vacina contra herpes zoster são exemplos de vacinas recentes, que são recomendadas para alguns adultos.

5) Os benefícios da vacinação vão além da pessoa que recebeu a vacina

Ao se vacinar, o adulto ajuda a proteger os outros, tornando menos provável que ele se torne o transmissor de uma doença.

Isso ajuda a proteger também aqueles que não podem ser vacinados, como bebês muito novos e pessoas com alergias ou certas condições médicas.

Principais vacinas administradas na fase adulta

O Ministério da Saúde no Brasil é um dos principais defensores da vacinação de adultos – conheça a seguir as principais vacinas para o público adulto:

  • Meningite B e Meningite ACWY: pessoas de todas as idades com certas condições médicas (particularmente a falta de um baço funcional) devem ser vacinadas. Algumas devem receber doses de reforço ao longo da vida. Viajantes para determinados países também devem ser vacinados;
  • HPV: indicada para mulheres com 26 anos ou menos ou homens de 22 a 26 anos. A vacina é administrada em três doses ao longo de seis meses;
  • Hepatite A: indicada para pessoas com um fator de risco específico para infecção por hepatite A ou que desejam se proteger desta doença. A vacina é geralmente administrada em duas doses, com 6 a 18 meses de intervalo;
  • Hepatite B: quem não foi imunizado quando criança deve tomar três doses: a segunda dose deve ser recebida um mês após a primeira. Já a terceira e última em seis meses após a segunda;
  • Hepatite A+B: vacina que fornece imunidade ativa contra os vírus da hepatite A e da hepatite B. É administrado em uma série de três injeções no mesmo esquema da vacina contra hepatite B: uma dose inicial seguida de doses de 1 mês e 6 meses após cada dose;
  • Influenza: a doença pode causar meningite (infecção do cérebro e da medula espinhal), que pode levar à surdez permanente e danos cerebrais. A infecção também pode causar pneumonia, infecções no sangue e inchaço grave na garganta que pode bloquear a respiração e levar à morte. O reforço deve ser anual – especialmente para os maiores de 65 anos, gestantes e pessoas que trabalham em instituições de saúde ou que lidam com o público;
  • Tríplice Bacteriana: todos os adultos que ainda não receberam uma dose de Tríplice na infância ou na adolescência precisam de uma dose entre os 30 e 49 anos;
  • Varicela: a doença pode causar infecções graves na pele, pneumonia, danos cerebrais e até a morte. Ela é especialmente perigosa para pessoas cujo sistema imunológico é fraco devido a doenças ou ingestão frequente de certos medicamentos.

A vacinação de adultos é um cuidado essencial com a saúde

A imunização é uma das formas mais seguras para proteger a saúde em todas as fases da vida.

Os efeitos colaterais da vacinação de adultos geralmente são leves e desaparecem por conta própria. Efeitos colaterais graves são muito raros.

Por isso certifique-se de estar em dia com as vacinas recomendadas. Os adultos podem receber as vacinas nos postos públicos de saúde (quando estão sujeitos ao calendário nacional de vacinação) ou em clínicas especializadas – como o VITA Check-up, que é referência na região e que possui um protocolo específico com controle ISO 9001 de qualidade total.

Clique para agendar sua consulta, saber mais sobre a vacinação de adultos e proteger sua saúde e bem-estar!


Vita.jpg

Uma das doenças que mais geram medo nas pessoas é o câncer. O tratamento complexo, os efeitos colaterais e o perigo das metástases são alguns dos fatores que levam a população a temer essa enfermidade. Mas, é muito importante frisar que há como prevenir o câncer, realizando um acompanhamento médico contínuo e adotando hábitos de vida mais saudáveis.

Para mostrar para a população a importância de ficar atento às formas de como prevenir o câncer, foi criado o Dia Mundial do Câncer, celebrado em 4 de fevereiro. A data tem como objetivo principal aumentar a conscientização das pessoas sobre o câncer e incentivar a prevenção, detecção e tratamento da doença.

A preocupação sobre como prevenir o câncer é importante, pois a doença vem avançando em todo o mundo, principalmente nos países emergentes. Segundo dados publicados pela Agência para a Pesquisa do Câncer, uma entidade ligada à Organização Mundial da Saúde (OMS),o câncer no Brasil pode sofrer um aumento de 78,5% até o ano de 2040, um dos maiores saltos entre as principais economias. No total, a estimativa aponta que 998 mil novos casos serão registrados.

Na sequência deste artigo, reunimos 5 formas simples, mas importantes, de como prevenir o câncer, garantindo saúde e qualidade de vida.

1. Fique atento aos fatores de risco

Uma das formas mais eficazes de saber como prevenir o câncer é conhecendo os principais fatores de risco da doença. Muitas pessoas se enquadram nesses pontos, mas por falta de conhecimento acabam não realizando o acompanhamento médico indicado, que inclui exames rotineiros de prevenção.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), os principais fatores de risco da doença são:

  • Hereditariedade
  • Exposição excessiva a radiações ionizantes e solares
  • Tabagismo
  • Obesidade

2. Cuide da alimentação

Outra forma de como prevenir o câncer tem a ver com os hábitos alimentares adotados pela pessoa. Uma alimentação desequilibrada, com excesso de gordura, sódio e açúcar pode levar a obesidade, e esse é um dos fatores de risco do câncer.

Para evitar passar por esses problemas, é fundamental seguir uma dieta saudável, com alimentos variados, como legumes, verduras e proteínas magras. Evitar consumir produtos industrializados também é uma forma eficaz de como prevenir o câncer.

3. Pratique atividades físicas regulares

A prática de atividades físicas é essencial para manter a saúde do corpo e da mente, além de ser uma maneira de como prevenir o câncer. Os exercícios regulares, além de evitar o sedentarismo e ampliar o bem-estar do praticante, ajudam a manter o câncer mais longe. Segundo o Inca, quanto mais se movimenta o corpo, maior a proteção contra a doença.

Por isso, vale incluir na sua rotina a prática de atividades físicas. Pode ser caminhada, dança, corrida, andar de bicicleta e até subir as escadas do seu prédio ou do trabalho, deixando o elevador de lado.

4. Excluir hábitos ruins e perigosos da sua rotina é uma forma de como prevenir o câncer

Há alguns hábitos bastante comuns na rotina dos brasileiros que podem acabar ampliando as chances de desenvolvimento do câncer. Para prevenir a doença, é importante excluir da rotina o tabagismo, ingestão de álcool, sexo sem preservativo e exposição aos raios solares sem protetor solar adequado para o corpo e rosto.

5. Realize check-ups anuais

Uma das formas mais importantes de como prevenir o câncer é realizando os check-ups anuais indicados pelo médico. Pessoas que se enquadram nos fatores de risco podem realizar exames com uma frequência ainda menor, isso irá depender da análise realizada pelo especialista.

Seguir os exames preventivos ao câncer é fundamental para a saúde da população. Os homens, por exemplo, devem realizar o exame de toque retal para prevenir o câncer de próstata a partir de 45 anos, em casos da doença na família ou negros, e 50 anos para os demais pacientes. Para as mulheres, a mamografia é indicada a partir dos 40 anos como forma de prevenir o câncer de mama.

Apresentamos no artigo de hoje 5 formas de como prevenir o câncer, cuidando da sua saúde e bem-estar. Lembrando que o câncer é uma doença muito séria, por isso, as medidas preventivas apresentadas, principalmente os exames regulares para diagnóstico e tratamento precoce, são essenciais para aumentar as chances de cura da doença.

Para cuidar ainda mais da sua qualidade de vida, entre em contato com os especialistas do Vita Check-up e conheça os programas de promoção da saúde.


1545584876834864.jpg

Muitas pessoas sofrem com a apneia do sono sem nem mesmo se dar conta do problema. Só no Brasil, ela afeta cerca de um terço da população.

O primeiro e mais comum sintoma é geralmente observado pelo seu parceiro: o ronco. Além disso, a pessoa também costuma fazer sons ofegantes ou sufocantes enquanto está dormindo.

Além disso, é possível ainda observar problemas como:

  • Cansaço constante;
  • Dificuldade de concentração;
  • Suor noturno em excesso;
  • Ganho de peso;
  • Problemas de memória;
  • Micção frequente à noite.

Se você se reconheceu em algum destes pontos acima, siga na leitura do artigo e descubra como obter um diagnóstico preciso e como solucionar o problema.

O que é apneia do sono?

Quando a pessoa tem esse problema, o ar para de fluir para os pulmões por 10 segundos ou mais – ou seja, ela realmente para de respirar.

Ao sentir que a pessoa parou de respirar, um centro de controle em seu cérebro a faz acordar apenas o suficiente para respirar. Então ela volta a dormir e o ciclo começa novamente.

Em algumas pessoas isso pode acontecer mais de 30 vezes a cada hora – mas muita gente sequer se lembra disso.

Possíveis causas

É normal que os músculos e os tecidos moles da garganta relaxem em algum grau durante o sono.

Para a maioria das pessoas, isso não causa problemas respiratórios. Já em pessoas que sofrem com a apneia do sono, a via aérea tem dificuldades como resultado de vários fatores, incluindo:

  • Excesso de peso;
  • Ser do gênero masculino;
  • Ter 40 anos de idade ou mais;
  • Ter um pescoço mais largo;
  • Ingerir medicamentos com efeito sedativo;
  • Consumir álcool;
  • Fumar;
  • Estar na menopausa (no caso das mulheres);
  • Histórico familiar;
  • Congestão nasal.

Complicações da apneia do sono

Não tratar o problema pode ter um impacto significativo na qualidade de vida do paciente, impactando não só a sua saúde, mas também seu desempenho no trabalho e suas relações com amigos, familiares, parceiros, entre outros.

A apneia do sono mal controlada também pode aumentar o risco de:

  • Hipertensão arterial;
  • Derrame ou ataque cardíaco;
  • Batimento cardíaco irregular – como fibrilação atrial;
  • Diabetes tipo 2.

Especialistas ainda afirmam que alguém que foi privado de sono por causa da apneia do sono pode ter até 12 vezes mais chances de se envolver em um acidente de carro.

Como obter o diagnóstico

Se você suspeitar que tem apneia do sono, o primeiro passo é discutir suas suspeitas com um médico de confiança ou um especialista em sono.

Especialistas do sono vêm de uma variedade de origens médicas. Eles podem ser:

  • Pneumologistas (especialistas em pulmão);
  • Otorrinolaringologistas (ouvidos, nariz e garganta);
  • Neurologistas (cérebro e nervos);
  • Psiquiatras (saúde mental);
  • Dentistas especializados no tratamento de distúrbios respiratórios do sono.

Seja qual for o tipo de médico que você consultará inicialmente, é importante já providenciar um check-up completo que proporcione uma visão detalhada de seu histórico médico, pois ele pode trazer informações relevantes sobre a apneia do sono.

Estudo do Sono é a melhor forma de diagnosticar o problema

De toda forma, um diagnóstico definitivo de apneia do sono só pode ser feito através de um estudo do sono.

Na maioria dos casos, o diagnóstico pode ser desconfortável, já que o paciente muitas vezes precisa dormir na clínica, usando sensores com vários fios.

Mas o VITA Check-up possui um exclusivo sensor sem fios, que permite que o monitoramento do sono seja feito na residência do paciente.

A pessoa precisa apenas colocar o sensor no dedo e os dados são enviados à clínica, via aplicativo instalado no smartphone, para o acompanhamento médico. Isso torna todo o procedimento mais confortável, prático e eficaz.

Dormir bem é muito importante, como você já pode ver nos outros dois artigos anteriores (CLIQUE AQUI). Por isso, é importante diagnosticar corretamente e tratar a apneia do sono.

Então agende já a sua consulta e saiba mais sobre o Estudo do Sono VITA Check-up.


15443588154079192.jpg

Ainda que encontros climáticos, como o Acordo de Paris, em 2015, tenham firmado o compromisso de 135 países para a redução do aumento médio da temperatura global, verão após verão as temperaturas atingem picos históricos.

Os resultados do aquecimento global e da destruição da camada de ozônio são sentidos dia a dia: com o aumento das temperaturas, maior exposição a raios UV, maior incidência de câncer de pele, entre outros problemas decorrentes do calor.

Não estamos falando apenas de problemas atrelados à exposição ao sol. O calor intenso também provoca alguns problemas de saúde particulares, como casos de desidratação, insolação, intoxicação alimentar, micoses e problemas na pele, dengue, hepatite A, queda de pressão arterial, entre outros.

Abaixo vamos listar alguns motivos que desencadeiam as principais doenças ou viroses que podem se multiplicar durante o verão. Tome nota e não se esqueça: consulte um médico e coloque as vacinas em dia antes de se aventurar!

Desidratação

A desidratação acontece, em geral, pela falta de ingestão de líquidos – e pode ser agravada pelo aumento das temperaturas, o que é comum na época do verão. Em pessoas mais velhas, o estímulo à sede passa a ficar deficitário. São os osmorreceptores, estruturas responsáveis por causar a sede, que sofrem alterações com o decorrer do tempo.

Em idosos, a perda de massa muscular e gordura, consequentemente, acarreta uma redução de líquido no organismo. De acordo com estudos, um adulto tem cerca de 70% de água no corpo, já o idoso tem por volta de 50%

A desidratação pode levar à desorientação mental, além de uma falta de ânimo e disposição combinadas ao calor – afetando a qualidade de vida dos indivíduos mais longevos. O pouco consumo de água também pode estimular o surgimento de cálculos renais, uma vez que a filtragem não é feita de forma correta e a urina tende a ficar mais concentrada.

Insolação

Combinada à desidratação, a insolação é outro problema que decorre do aumento das temperaturas. Ficar exposto ao sol por horas seguidas, como muitas vezes acontece durante um dia de praia, pode ocasionar sérios problemas.

A boa hidratação, inclusive, é um fator que combate a insolação a médio prazo. Na ausência de cuidados, a temperatura média do corpo segue alta mesmo após o dia de sol. As queimaduras contribuem para o mal-estar e a alta temperatura do corpo. Em casos extremos, quadros de insolação podem causar vômitos, febre e até mesmo delírios.

Intoxicação Alimentar

Em um cenário de praia, curtição e sol escaldante, é comum encontrar muitas opções de comida na beira do mar. De camarão a queijo coalho, passando por pastel, sanduíches, espetinhos, sorvetes e drinques. Opções não faltam, difícil é saber o que escolher.

Além do cuidado ao comer na rua, é preciso saber armazenar muito bem os alimentos em casa para não amargar uma intoxicação alimentar. O calor, o excesso de comida a ser armazenada, e a falta de manutenção de equipamentos em casas de veraneio formam o cenário ideal para problemas: a falta de capacidade em gelar e o risco de comidas estragarem.

A intoxicação alimentar contribui para um quadro de desidratação caso não seja combatida. Diarreia, vômito e febre são sintomas comuns em quadros como esse. É necessário hidratar-se com frequência e aderir a uma dieta de alimentos cozidos e comida leve: purês e sopas até o organismo se recuperar.

Micoses

Problemas de pele também são comuns no calor. Secar o corpo com a toalha molhada, exposta ao tempo, é um prato cheio para problemas de pele. A carga muito grande de sol, às vezes sem proteção, também contribui para o aparecimento de manchas.

Piscinas em casas de veraneio são um grande perigo! Atenção à limpeza e clorificação da água para evitar a proliferação de doenças de pele.

Dengue e Hepatite A

Juntamos em um mesmo tópico por que ambas as doenças surgem de uma contaminação que envolve a água. A hepatite A, forma mais comum da doença, pode ser contraída no consumo de águas de torneira, por exemplo. Vale ficar esperto com a procedência e a origem da água que se consome.

Já a dengue, como é sabido desde que a epidemia se instalou no Brasil, prolifera em locais onde a água fica acumulada.  Em ambientes úmidos de mata podem ser encontradas variações em que o aedes aegypti é portador, como a chikungunya – de toda forma, as doenças transmitidas por esse mosquito são sempre muito perigosas.

Como forma de se prevenir é ideal realizar rotinas de exame preventivo. O check-up médico ajuda a garantir uma saúde equilibrada e protegida – mediante a aplicação de vacinas e outros tratamentos – de vírus ou doença que possa se instalar em um cenário de férias de verão. Conheça os planos da Vita Check-up e tenha um verão à altura de seus sonhos.


15443527435021307.jpg

O verão, sinônimo de curtição, viagem e praia, é uma época do ano que exige alguns cuidados específicos para aproveitar esse período de sol com responsabilidade e dizer adeus ao estresse.

Grande parte dessa receita de bem-estar passa por uma alimentação saudável, uma vez que, diante de altas temperaturas,  a perda de líquidos e sais minerais acontecem com maior intensidade, sendo necessário mudar a dieta para manter a saúde em dia.

Se você deseja aproveitar tudo o que a estação mais quente do ano pode oferecer, siga na leitura deste artigo e descubra que o verão requer mais do que preocupação com a parte física, sendo preciso redobrar os cuidados com a alimentação e a hidratação do organismo.

Os segredos de uma alimentação saudável

O clima de sol e calor desperta novas necessidades – e vontades – no consumidor. Prefira escolher alimentos leves – folhas, verduras e saladas são uma ótima pedida e tente maneirar no consumo de proteínas e carboidratos.

Saladas, grãos e frutas são excelentes também. Alimentos de fácil digestão, saudáveis e que saciam a fome. Sanduíches naturais, carnes magras e legumes também podem compor uma dieta saudável.

Evite frituras e gorduras em excesso, pois tais alimentos dificultam a digestão. A digestão demorada fica ainda mais debilitada em altas temperaturas – imagina comer uma feijoada na beira da praia: receita perfeita para a indigestão, não é?

As frutas, além de serem um alimento saudável e ótima alternativa para a sobremesa, também são grandes fontes de hidratação. Opções como melancia, melão, maçã e abacaxi, por exemplo, consistem em uma ótima forma de hidratar o organismo por conta da quantidade de água que contêm.

Além das frutas mais suculentas, que têm bastante água em sua composição, a hidratação também deve ser feita religiosamente. Procure ingerir algum líquido (sucos naturais, isotônicos, água) a cada 2 horas para manter sempre o corpo refrescado. Sobretudo quando se está na praia, à exposição do sol, manter o organismo hidratado é uma condição essencial para o bem-estar.

Estimule o apetite no calor!

As altas temperaturas agravam a sensação de cansaço, podendo tirar o ânimo ao longo do dia e, até mesmo, o apetite. Contudo, até mesmo a diminuição no desejo de comer deve ser combatida – mesmo para quem está brigando com a balança, deixar de comer por períodos longos não é uma boa recomendação.

É preciso se alimentar e se hidratar regularmente para manter o organismo equilibrado e aumentar a resistência.

Estimule o apetite ao ingerir pequenas porções em intervalos de tempo fixos. Experimente comer de três em três horas, alternando grãos, saladas (constituídas por quase 90% de água) e, por exemplo, um sanduíche natural – mas nada de alimentos pesados que dificultem a digestão – a alimentação leve é fundamental para manter o corpo protegido e sem desgastes na digestão.

Na praia, muito cuidado com alimentos vendidos por ambulantes! Não só o armazenamento do produto, como também a exposição constante ao sol, pode alterar suas propriedades e causar graves prejuízos à saúde.

Escolha opções mais refrescantes e saudáveis e considere levar de casa algumas frutas já higienizadas e armazenadas em uma bolsa térmica, por exemplo.

Todos sabem que uma boa alimentação é fundamental para uma vida saudável, assim como a realização de check-ups médicos regulares realizados em clínicas idôneas.

Por isso, antes de encarar o verão, garanta que os exames estejam em dia, que a dispensa esteja repleta de boas opções e tome cuidado com o comércio na praia. Não vale perder o tempo de descanso e curtição por conta de uma intoxicação alimentar, não é mesmo?

Bem-estar e saúde é a nossa praia. Se é a sua também, te convidamos a acompanhar nossos conteúdos, voltados à qualidade de vida. Acreditamos que você vai gostar!


Copyright 2018 VitaCheckup Center. Todos os Direitos Reservados.