Check-up ajuda a conciliar obesidade e vida saudável

15402185154370391.jpg

Muitas pessoas acreditam que uma pessoa com obesidade não poderia estar fisicamente em forma – mesmo que ela tenha bons hábitos e mantenha uma rotina regular de check-up.

Mas estudos estão mostrando o contrário dessa teoria tão popular: a obesidade por si só não significa um aumento na taxa de mortalidade.

De fato, pessoas com quilinhos a mais na balança podem ser mais saudáveis que pessoas magras – descubra como isso é possível na leitura a seguir.

Quais são os riscos da obesidade?

De acordo com o Ministério da Saúde, a cada cinco brasileiros, uma está acima do peso – em dez anos, a incidência da obesidade pulou de 11,8% para 18,9%.

Mas um estudo, publicado no Journal of American Medical Association, não encontrou aumento do risco de morte para pessoas com sobrepeso (aquelas com IMC de 25-29,9), sugerindo que pessoas com poucos quilos extras, mas que possuem bons hábitos, podem ser relativamente saudáveis.

Mas nada de repetir a sobremesa hoje – para isso, é importante que a pessoa com sobrepeso esteja com os outros fatores em ordem:

  • Circunferência da cintura;
  • Atividade física regular;
  • Dieta saudável;
  • Não fumar e manter consumo moderado de álcool;
  • Ausência de problemas médicos significativos ou histórico familiar de doenças crônicas;
  • Check-up sempre em dia.

Estar acima do peso pode aumentar o risco de problemas de saúde, especialmente para portadores do diabetes tipo 2, doenças cardíacas e pressão alta.

Por isso vale reforçar que embora o excesso de peso ainda seja considerado uma condição saudável, é preciso monitorar com uma rotina regular de check-up e manter um estilo de vida saudável, incluindo atividade física regular e um plano alimentar nutritivo.

Dicas para quem está acima do peso e quer permanecer saudável

Como você pode ver, é possível ter sobrepeso e ser saudável – desde que você tome alguns cuidados:

Mantenha bons hábitos alimentares

Evite pular refeições, consuma pelo menos três xícaras de legumes e duas frutas diferentes por dia e consuma grãos e oleaginosas para garantir sua dose de fibras e antioxidantes.

Aposte também em alimentos mais frescos, menos processados e com conservantes – levar a sua própria  comida para o trabalho, viagem ou sala de aula faz com que você se alimente melhor e ainda ajuda a economizar.

A hidratação também é importante: beba pelo menos duas garrafas de água por dia, em vez de suco ou refrigerantes.

Exercite-se regularmente

Os benefícios das atividades físicas vão muito além da queima de calorias. Ser fisicamente ativo ajuda a prevenir doenças cardíacas, diabetes tipo 2, depressão, algumas formas de câncer e osteoporose.

Também pode melhorar o seu humor, melhorar a autoestima, reduzir a ansiedade e ajudar a gerenciar o estresse. E melhorar seu nível de condicionamento físico normalmente resulta em aumento de massa muscular, o que significa que seu corpo queima mais calorias o tempo todo.

Não fume

Fumar é altamente prejudicial à saúde: os fumantes são mais propensos a sofrer de infecções respiratórias e várias queixas menores, como tosse e resfriado.

O tabagismo ainda é fator de risco para o câncer e doenças cardíacas, cardiovasculares e pulmonares. Também pode causar problemas respiratórios e impactar negativamente rins, fígado e pâncreas.

Faça check-up regularmente

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou um dado alarmante: em 2022 teremos mais crianças com excesso do que abaixo do peso em todo o planeta.

Por isso, é preciso fazer um acompanhamento para prevenir problemas mais drásticos desde a adolescência, com um check-up específico para essa faixa etária.

Também é fundamental contar com um médico de confiança e o apoio de um nutricionista e de psicólogo, para garantir também seu bem-estar mental.

Cada pessoa é única

As pessoas existem em todas as formas e tamanhos. Todo mundo queima calorias em taxas e velocidades diferentes, o que afeta o controle de peso.

Acrescente ainda a genética e fica mais fácil entender porque é praticamente impossível criar uma fórmula única para perda de peso que funcione para todos.

Fica então o lembrete sobre a importância da alimentação saudável e do exercício regular, que são fundamentais para garantir uma vida com mais saúde, independentemente da perda de peso.

Perder um pouco de peso pode aumentar sua saúde sem necessariamente mover seu IMC para o alcance “normal”: eliminar algo em torno de 5% a 10% do peso corporal pode proporcionar melhorias nos índices de colesterol, açúcar no sangue e de pressão arterial.

Além disso, fazer check-up com regularidade ajuda a monitorar suas condições e prevenir qualquer problema logo nos primeiros estágios, aumentando as chances de cura e de uma vida mais longa e feliz.

Conheça a equipe Vita Check-up Center e descubra como ela pode ajudar a cuidar cada vez mais e melhor de sua saúde.


15419821697079492.jpg

Imagine se o seu check-up médico pudesse identificar não só a presença de eventuais enfermidades, mas também a possibilidade de surgimento de problemas no futuro?

Acredite, isso já é realidade. Cada vez mais comuns, os testes genéticos oferecem aos pacientes a chance de conhecer um pouco mais sobre seu risco de desenvolver algumas enfermidades e, a partir daí, tomar medidas para modificá-los.

Mas afinal, como funcionam esses exames? Que doenças eles são capazes de identificar? Qualquer pessoa pode se submeter a testes genéticos? Saiba mais sobre esse assunto!

O que são testes genéticos?

Testes genéticos são exames realizados geralmente a partir de amostras de sangue ou saliva que têm por objetivo identificar mutações em determinados genes que aumentam as chances do desenvolvimento de algumas doenças.

Os testes genéticos podem ser realizados com objetivo diagnóstico, ou seja, para confirmarem ou não uma suspeita clínica. Nesse caso, ainda que seja identificada uma enfermidade grave, eles são importantes na medida em que possibilitam a prevenção ou combate dos sintomas, melhorando a qualidade de vida do portador da doença, ou para alertar sobre as chances de desenvolvimento do problema em outros membros da família.

Outra possibilidade é que os testes genéticos tenham função preditiva. Nesse caso, eles indicam não a presença ou mesmo a certeza de uma doença futura, mas a possibilidade de que ela venha a se manifestar, o que dá ao paciente a chance de prevenir-se antes de que o problema se instale ou mesmo de tratá-lo precocemente.

Um exemplo de teste genético preditivo já disponível no Brasil é aquele que identifica alterações nos genes BRCA1 e BRCA2, que estão associados a tumores malignos na mama e no ovário.

Além disso, também é possível estimar as chances de surgimento de outras 2 mil doenças genéticas, incluindo tipos raros de Alzheimer.

O teste genético pode ser realizado por qualquer pessoa?

Embora o teste genético seja um aliado importante na prevenção e combate de doenças hereditárias, é importante que ele seja utilizado com critério.

Há um consenso entre sociedades médicas e científicas internacionais, por exemplo, de que crianças não devem ser testadas para enfermidades genéticas que só se manifestam na vida adulta, garantindo assim que elas possam decidir no futuro se desejam ou não tomar conhecimento dos seus riscos e perfil genético.

Em geral, o exame é recomendado por especialistas para pessoas com histórico familiar de doenças que se enquadrem nessas condições. Caso o teste seja positivo, o ideal é que parentes próximos, como mãe ou irmã, também realizem o exame, garantindo uma análise mais assertiva.

É importante salientar que um resultado positivo nesse tipo de teste não significa que o paciente necessariamente desenvolverá a doença, mas que há um indício de maior predisposição futura.

Por isso, o médico pode recomendar, por exemplo, a realização de exames preventivos em um espaço de tempo menor do que o usual ou, em casos específicos, de cirurgias profiláticas, como a que se submeteu a atriz Angelina Jolie ao descobrir via teste genético que possuía 87% de chance de desenvolver câncer de mama.

Que cuidados devo tomar ao realizar um teste genético?

Tenha em mente que a realização do teste genético é uma questão que deve ser previamente discutida com um médico de sua confiança, para que ele possa fazer uma adequada avaliação do seu histórico clínico e familiar.

Feito isso, é fundamental escolher uma clínica especializada, com infraestrutura completa e profissionais altamente capacitados na coleta e análise desse tipo de material.

É importante lembrar que testes genéticos são exames complexos e sua realização e avaliação devem ser conduzidas por especialistas, evitando análises e interpretações equivocadas que podem gerar procedimentos e estresses desnecessários ou mesmo uma sensação de falso conforto.

Como você pode ver, os testes genéticos são excelentes aliados na identificação de fatores de risco para o surgimento de algumas doenças. Realizar esse tipo de exame possibilita que você conheça melhor as possibilidades de desenvolver algumas enfermidades no futuro e, a partir daí, tome medidas para identificá-las mais rapidamente ou mesmo preveni-las.

Além deles, diversos outros exames podem ser incluídos no seu check-up médico para garantir a prevenção e diagnóstico precoce de diversas doenças. Se você quiser saber mais sobre eles e conhecer as possibilidades que o Vita Check-Up tem a oferecer, converse agora mesmo com um de nossos especialistas e descubra tudo o que você pode fazer para proteger o seu bem mais precioso!


1541707948704485.jpg

Você tem investido em benefícios que visam oferecer mais saúde e bem-estar aos seus colaboradores, como check-up médico e estímulo à prática de atividades físicas? Se a resposta for não, é importante rever alguns conceitos.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo site norte-americano Office Vibe, 84% dos funcionários com um bom pacote de benefícios afirmam ter satisfação plena no trabalho, enquanto 80% preferem benefícios novos ou adicionais a um aumento no salário.

Para além do aumento da motivação e da produtividade, há também a questão econômica. Anualmente, cerca de 100 mil funcionários são afastados de suas atividades diárias por questões de saúde, e a principal causa desses afastamentos é a dor nas costas, especialmente em colaboradores que realizam funções repetitivas ou passam muito tempo sentados.

Em grande parte dos casos, o problema poderia ter sido evitado com um programa de prevenção e diagnóstico precoce, o que garantiria mais saúde para o profissional e menos gastos para o empregador.

Diante desse panorama, diversas empresas têm apostado em ações voltadas à saúde dos seus funcionários que oferecem excelente relação custo x benefício. Conheça algumas delas:

1. Programa de combate ao tabagismo

Além do check-up médico, algumas empresas investem também na realização de programas de combate ao tabagismo para que seus colaboradores abandonem de vez o hábito de fumar.

Em geral, esse tipo de programa é composto por reuniões semanais ou quinzenais nas quais os interessados recebem orientações de profissionais de saúde sobre os benefícios de manter-se longe do cigarro, além de acompanhamento psicológico para que os colaboradores consigam manter-se firmes no propósito.

Além de melhor o estado geral de saúde, estratégias desse tipo influem positivamente na qualidade de vida e disposição física dos trabalhadores, aumentando a motivação e a produtividade, já que reduzem drasticamente as pausas provocadas pelo vício no fluxo diário de trabalho.

2. Ginástica laboral

A prática de exercícios de curta duração no ambiente de trabalho possibilita que os colaboradores tenham melhores condições físicas e psicológicas para realizar suas atividades diárias, favorece a integração e o trabalho em equipe e ajuda a reduzir os níveis de estresse e ansiedade.

Em geral, a ginástica laboral é baseada em técnicas de alongamento que envolvem o tronco, mãos e pescoço, e deve ser realizada sempre por profissionais especializados, como educadores físicos ou fisioterapeutas.

A prática constante também auxilia na prevenção de casos de lesão por esforço repetitivo (LER) e na correção de problemas posturais, diminuindo assim o percentual de afastamentos por doenças e proporcionando um aumento da produtividade.

3. Estímulo à prática de atividades físicas

Além da ginástica laboral, é comum que empresas preocupadas com o bem-estar e a saúde dos seus funcionários criem programas que estimulem a adesão a uma rotina de atividades físicas.

Como formatos variados, que vão desde a criação de grupos de corrida e campeonatos de futebol internos até o subsídio para funcionários que apresentem recibos da prática esportiva que mais se adapta às suas necessidades, esse tipo de programa contribui para a melhora da qualidade de vida dos colaboradores, aumentando sua disposição e produtividade.

Adicionalmente, a empresa pode oferecer pacotes que combinam o subsídio à prática de atividades físicas com check-ups médicos específicos para quem vai começar a se exercitar, que incluem avaliação cardiológica e postural e orientação nutricional, minimizando os riscos de lesões e aumentando as chances de sucesso no combate ao sobrepeso e obesidade.

4. Check-up médico

Um dos benefícios mais atrativos que as empresas podem oferecer aos seus colaboradores, especialmente executivos e profissionais em cargo de liderança, é o check-up médico anual completo, que tem como objetivo não só detectar precocemente eventuais enfermidades, como também identificar fatores de risco para o desenvolvimentos de algumas doenças e modificá-los antes mesmo do seu surgimento.

As instituições podem optar ainda por programas personalizados, que focam nas necessidades de públicos específicos, como um check-up voltado para a prevenção de doenças que afetam as mulheres ou pacotes que incluam perfil de imunização e aplicação de vacinas.

Esse tipo de benefício, estimula a adoção de hábitos mais saudáveis e ajuda a reduzir a taxa de faltas e afastamentos de funcionários-chaves para o sucesso do seu negócio provocados por enfermidades que poderiam ser diagnosticadas precocemente ou questões ligadas ao estresse profissional.

A inclusão do check-up médico no pacote de benefícios oferecidos aos executivos também influi positivamente nos níveis de motivação e satisfação desses profissionais e na visão que esses possuem da empresa, podendo ser fator importante na atração e retenção de talentos.

Como você pode ver, oferecer benefícios que visem promover mais saúde e bem-estar para seus executivos é um excelente investimento, na medida em que ajuda a diminuir a taxa de afastamentos por doença, aumenta a motivação e produtividade e auxilia na atração e retenção de talentos estratégicos para a performance do seu negócio.

Se você quer oferecer check-ups médicos premium para profissionais em cargos de liderança, conheça os programas oferecidos pelo Vita Check-Up! Contamos com diferenciais inovadores, como a avaliação de estresse emocional e status de imunização, e uma infraestrutura completa!


15408585952414799.jpg

Entenda a diferença entre depressão e tristeza

Muitas pessoas têm dificuldades em saber identificar o que é depressão e o que é tristeza.

A tristeza temporária acontece com qualquer um, seja em resposta a eventos (como o término de uma relação ou a perda de um ente querido) ou simplesmente porque a vida não é feliz o tempo todo.

Mas alguns fatores podem fazer com que a tristeza se instale e abra espaço para a depressão, um problema que afeta mais de 11,5 milhões de brasileiros – fazendo com que o Brasil seja o país com o maior número de pessoas deprimidas em toda a América Latina.

Estes dados, fornecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS), mostram a importância de entender melhor o problema e de buscar tratamentos que ajudem a garantir a saúde e a qualidade de vida.

Diferença entre depressão e tristeza

As fronteiras entre a depressão e a tristeza são mais flexíveis e abertas à interpretação do que podemos. Mas existem indicações definitivas de que um transtorno de humor pode ser a causa subjacente de um problema maior.

Por isso listamos a seguir alguns pontos importantes para que você possa entender melhor a questão:

  • Há muitas semelhanças: o que complica bastante a distinção entre tristeza temporária e depressão prolongada é que os sintomas podem ser muito parecidos;
  • O tempo importa: um dos principais fatores de distinção entre sentimentos temporários de tristeza e um quadro de depressão mais sério é justamente o tempo. Especialistas acreditam que se o quadro permanecer estacionado por mais do que quinze dias, um profissional precisa ser consultado;
  • Sintomas depressivos tendem a ser extensivos e intensivos: muitas vezes há muitos sintomas, que aparecem sem qualquer alívio ou aviso, como dificuldade em tomar decisões, dormir demais ou não dormir o suficiente, acordar depois de 11 horas de sono e ainda se sentir exausto, sentir-se desesperado ou se culpando muito, um cansaço intenso sem motivo. O diagnóstico de depressão se dá quando vários destes fatores se apresentam em paralelo, por um período prolongado de tempo.

Consequências da depressão

Há uma série de evidências que apontam que a depressão clínica também afeta seriamente a saúde física.

A depressão pode minar a vontade da pessoa cuidar de sua saúde e bem-estar. Ela pode descuidar da alimentação, da prática de exercícios físicos, da higiene, ter maior propensão a vícios (tabagismo, alcoolismo e consumo de drogas) e a automedicação – tudo isso pode sobrecarregar o sistema imunológico e aumentar o risco de doenças cardiovasculares e autoimunes (como o lúpus e o diabetes), além de infecções e até o surgimento do câncer, por conta dessa queda de imunidade.

Um estudo descobriu ainda que pacientes com depressão severa têm mais risco de morte nos primeiros meses após um ataque cardíaco.

Como diagnosticar a depressão

Como mencionamos no tópico anterior, diagnosticar a depressão pode ser um desafio. Por isso muitos profissionais começam o diagnóstico através dos exames físicos, concentrando-se principalmente nos sistemas neurológico e endócrino. O médico tentará identificar os principais problemas de saúde que possam estar contribuindo para os sintomas de depressão clínica:

  • Tumores do sistema nervoso central;
  • Trauma na cabeça;
  • Esclerose múltipla;
  • Acidente vascular encefálico;
  • Sífilis;
  • Cancros (pâncreas, próstata, mama).

Seu médico provavelmente pedirá um check-up, com exames de sangue para verificar se há condições médicas que possam causar sintomas depressivos – como anemia, alterações na tireoide ou outros hormônios, níveis de cálcio e vitamina D fora do padrão.

O médico pode incluir ainda outros testes padrão, como a verificação dos eletrólitos, função hepática, triagem toxicológica e função renal.

Alguns profissionais ainda podem incluir no check-up:

  • Tomografia computadorizada ou ressonância magnética do cérebro;
  • Eletrocardiograma (ECG);
  • Eletroencefalograma (EEG).

Como tratar a depressão e levar uma vida normal

A depressão felizmente é tratável e a maioria das pessoas experimenta muitas melhorias em seus sintomas quando encontram o tratamento certo – geralmente com medicação, psicoterapia ou uma combinação das duas.

Mas é importante que o tratamento seja individualizado. O que funciona para uma pessoa pode não necessariamente funcionar para outra. Por isso é importante escolher uma boa clínica e conversar com seu médico sobre quais opções podem ser mais eficazes para reduzir sua depressão. Conheça algumas delas a seguir:

Psicoterapia

Os psicoterapeutas costumam usar um tipo específico de terapia para tratar a depressão. Existem muitos tipos diferentes:

  • Terapia interpessoal;
  • Terapia cognitiva comportamental;
  • Terapia de habilidades sociais;
  • Terapia psicodinâmica;
  • Aconselhamento de apoio;
  • Ativação comportamental;
  • Terapia de resolução de problemas;
  • Terapia familiar ou de casal.

Hospitalização

A hospitalização pode ser um recurso nos casos em que a depressão atingiu níveis mais críticos e o paciente se tornou um perigo para si mesmo (infelizmente, em alguns casos, o paciente corre risco de pensar em suicídio) ou para os outros.

Quando este paciente estiver seguro para deixar o hospital é essencial contar com o suporte de um programa intensivo de ambulatório.

Medicamentos

Existem muitos medicamentos diferentes que podem ajudar a reduzir os sintomas da depressão. A maioria dos estudos descobriu que a medicação é mais eficaz quando usada em conjunto com a terapia – converse com o seu médico para identificar o tipo certo para o seu caso.

Estratégias de autoajuda

Os métodos de autoajuda para o tratamento da depressão podem ser úteis para alguém que esteja com sintomas leves – como:

  • Grupos de apoio: eles permitem que o paciente converse com outras pessoas que possam se relacionar com os problemas e sintomas que está enfrentando;
  • Recursos on-line: existem muitos sites, boletins informativos e programas on-line que ajudam especificamente pessoas com depressão – veja nosso artigo sobre os cuidados para usar a internet com a finalidade de cuidar de saúde e evitar problemas. Alguns aplicativos também ajudam a monitorar os sintomas e fornecem dicas para contornar alguns destes sintomas;
  • Livros de autoajuda: os livros podem oferecer alguns insights proporcionados por terapias – mas requer que os leitores saibam e possam aplicar as informações em suas próprias vidas.

Lembre-se: qualidade de vida requer saúde física e psicológica. Para receber mais dicas sobre saúde e bem-estar, acompanhe nosso blog!


15405859644608026.jpeg

Não há melhor maneira que garantir uma vida saudável que apostando na prevenção. Realizar um check-up médico anual é uma medida que pode detectar precocemente uma série de enfermidades e aumentar as chances de cura em homens e mulheres.

No entanto, será que existe diferença na maneira como os dois grupos encaram essa necessidade? Afinal, homens e mulheres costumam dar a mesma importância à prevenção e cuidados com a saúde? E de que maneira isso se reflete na expectativa de vida e nos índices de mortalidade? É o que você vai descobrir agora!

Quem cuida mais da saúde, homens ou mulheres?

De acordo com pesquisas nacionais e internacionais, quando o assunto é prevenção, as mulheres saem na frente. Segundo um levantamento divulgado pelo Ministério da Saúde, 31% dos brasileiros revelou não ter o hábito de buscar tratamento ou auxílio na prevenção de doenças.

Já uma pesquisa conduzida pela Sociedade Brasileira de Urologia sobre os hábitos de saúde dos homens brasileiros concluiu  que eles se alimentam pior que as mulheres, comem mais gorduras e menos verduras do que elas e bebem e fumam com maior frequência. Ainda assim, 70% acreditam estar em melhores condições de saúde.

Afinal, por que isso acontece?

As causas para essa baixa adesão masculina a prevenção e tratamento médico são variadas, e começam a surgir já no início da adolescência, época em que as meninas costumam ser levadas ao médico tão logo menstruam pela primeira vez, enquanto os meninos apenas vão ao consultório se apresentarem algum sintoma específico.

A isso, soma-se o componente cultural que vê o homem como forte e invulnerável, o que acaba contribuindo para que eles atribuam menos atenção à prevenção. No mesmo levantamento do Ministério da Saúde em que os homens afirmaram não ter o hábito de buscar auxílio na prevenção de doenças, 55,1% afirmaram não fazê-lo por acreditar que não necessitam desses cuidados.

Quais são as consequências dessa falta de cuidados?

Os resultados dessa falta de atenção com o check-up médico e com a prevenção às doenças também se reflete em números oficiais.

De acordo com dados da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), colhidos com mais de 53 mil pessoas em todo o Brasil, tem aumentado os casos de hipertensão — de 19,3 % para 23,6% —, diabetes — de 4,6% para 7,8% e obesidade — de 11,4% para 18,1% — entre homens no Brasil.

Já as mulheres, que dão mais atenção aos exames preventivos e aos cuidados com a saúde em geral, vivem em média 7,3 anos a mais que os homens e morrem menos de doenças relacionadas à circulação e ao aparelho digestivo.

Para tentar alterar esse quadro negativo com relação à saúde masculina, o Ministério da Saúde criou em 2009 a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), cujo objetivo é reforçar e incentivar políticas e estratégias para a promoção e recuperação da saúde masculina, incentivando-os a estar mais atentos à importância dos cuidados preventivos.

Uma das iniciativas mais expressivas nesse sentido é o Novembro Azul, campanha em nível nacional que alerta para os riscos do câncer de próstata e para a necessidade de prevenção e diagnóstico precoce da doença, e o Dia do Homem, que é comemorado em 15 de julho e visa conscientizar sobre a importância de dar atenção à saúde.

Check-up médico: prevenção é a chave de uma vida saudável!

Independentemente do sexo, um dos pilares para uma vida saudável é mesmo a prevenção. Por isso, incluir na rotina consultas frequentes e ao menos um check-up médico anual é fundamental para quem quer garantir não só o diagnóstico precoce de uma série de enfermidades e ampliar as chances de cura, com também identificar fatores de risco para o desenvolvimento de doenças e modificá-los.

Para que isso aconteça, é fundamental contar com o apoio de clínicas com tecnologia de ponta, infraestrutura completa e profissionais altamente capacitados, como o Vita Check-Up Center.

Possuímos programas de check-up médico com formatações para atender às necessidades de cada paciente, independente de idade e sexo, e estamos constantemente investindo em inovação para trazer à você o que há de mais moderno em saúde preventiva!

Se você quiser saber mais sobre o Vita Check-Up Center, siga-nos agora mesmo em nossas redes sociais, como LinkedIn, Facebook e Twitter e conheça melhor o trabalho desenvolvido por nossa equipe!


Copyright 2018 VitaCheckup Center. Todos os Direitos Reservados.