Agende o check-up dos executivos da sua empresa. Condições especiais para empresas do RJ. Continue explorando

LogoVITACFCorSFHD

RESULTADOS DOS EXAMES

Fadiga ou cansaço: você sabe a diferença?

Fadiga ou cansaço: você sabe a diferença?

Fadiga, cansaço… Você acha que é tudo a mesma coisa? Pois acredite, há muita diferença. É importante entender como identificar adequadamente cada um dos problemas, já que eles requerem cuidados específicos para garantir uma melhor qualidade de vida. Saiba mais!

Afinal, qual é a diferença entre fadiga e cansaço?

O cansaço é um sintoma físico ou mental que está diretamente relacionado ao esforço realizado ao longo do dia. É aquela sensação de desconforto que você sente quando realiza uma atividade física muito intensa ou tem um dia muito corrido no trabalho.

Já a fadiga é a sensação de estar cansado o tempo todo. É diferente da sensação de sonolência que você sente na hora de dormir ou do cansaço após o exercício ou de uma madrugada trabalhando ou em uma festa mais agitada. A fadiga pode ser física (no seu corpo) ou psicológica (na sua mente).

É mais provável que você sinta fadiga se tiver uma doença física ou mental. As mulheres são mais comumente afetadas que os homens.

Quais são os sintomas da fadiga?

A fadiga pode causar uma ampla gama de sintomas, como:

  • Físico: cansaço crônico ou sonolência, dores de cabeça, tontura, dor, músculos doloridos ou fracos, coordenação motora prejudicada, perda de apetite, comprometimento do sistema imunológico;
  • Mental: reflexos e respostas lentos, más tomadas de decisão e julgamentos prejudicados, problemas de memória de curto prazo, baixa concentração;
  • Emocional: mau humor, irritabilidade, desmotivação, alucinações, o indivíduo sente-se constantemente deprimido e sem esperança.

Quais são as causas da fadiga?

A fadiga pode estar relacionada a uma série de fatores. Conheça alguns dos mais comuns a seguir:

Alimentação

Se você tem tendência a pular refeições, pode não estar recebendo as calorias necessárias para manter sua energia ao longo do dia. Longas lacunas entre as refeições podem fazer com que o seu índice glicêmico caia, diminuindo sua energia.

É muito importante não pular refeições – na verdade, o ideal é fazer seis refeições ao dia, intercalando café da manhã, almoço e jantar com lanches saudáveis ​​para aumentar a energia entre as refeições, especialmente naqueles momentos em que você sente mais sonolência ou quando bate aquela preguiça.

Mantenha uma dieta equilibrada: as opções saudáveis ​​de lanches incluem bananas, manteiga de amendoim, biscoitos integrais, barras de proteínas, frutas secas e nozes.

Consumo de álcool em excesso

A ingestão de bebidas alcoólicas em excesso pode fazer com que você acorde no meio da noite. Beber em excesso regularmente pode afetar seu humor e seu sono, refletindo na sua disposição em suas rotinas diárias.

Deficiência de vitamina

Estar cansado o tempo todo também pode ser um sinal de deficiência de vitamina. Isso pode incluir baixos níveis de vitamina D, vitamina B-12, ferro, magnésio ou potássio. Um exame de sangue de rotina pode ajudar a identificar uma deficiência.

O seu médico pode recomendar tomar suplementos. Você também pode aumentar sua ingestão de certos alimentos para corrigir uma deficiência naturalmente – a ingestão de mais folhas verdes, carne e fígado pode reverter uma deficiência de B-12.

Peso

Estar acima do peso também pode causar fadiga. Quanto mais peso você carregar, mais seu corpo precisará trabalhar para concluir tarefas diárias, como subir escadas ou organizar a casa.

Elabore um plano para manter o controle do seu peso e melhorar seu nível de energia. Comece com atividades leves, como caminhar ou nadar, e aumente gradualmente a intensidade conforme sua resistência permitir. Além disso, aposte na ingestão de mais frutas frescas, vegetais e grãos integrais. Limite a ingestão de açúcar, junk foods e alimentos gordurosos.

Baixos níveis de testosterona

A testosterona é o principal hormônio sexual masculino, que desempenha um papel essencial nos níveis de energia mental e física.

À medida que os homens envelhecem, a quantidade de testosterona que seu corpo produz naturalmente diminui.

Baixos níveis de testosterona, também chamados de hipogonadismo masculino, podem causar baixos níveis de energia, fadiga e depressão nos homens. A condição se torna mais comum à medida que o homem envelhece.

Outros sintomas da baixa testosterona incluem:

  • Energia e resistência reduzidas;
  • Depressão;
  • Irritabilidade;
  • Dificuldade de concentração;
  • Anemia;
  • Ondas de calor;
  • Disfunção erétil;
  • Infertilidade;
  • Diminuição do crescimento da barba e dos pelos do corpo;
  • Diminuição da massa muscular;
  • Desenvolvimento de tecido mamário chamado Ginecomastia;
  • Perda de massa óssea chamada osteoporose.

Estilo de vida

Sim, o cansaço desproporcional provocado pela fadiga pode estar relacionado ao seu estilo de vida e a hábitos pouco saudáveis.

Em um estudo, os pesquisadores investigaram como um estilo de vida sedentário influenciou na sensação de fadiga entre mulheres. Alguns estilos de vida das mulheres atenderam às recomendações de atividade física, enquanto outras não eram fisicamente ativas.

Segundo os resultados, as mulheres menos sedentárias apresentaram um nível significativamente menor de fadiga. Isso apoia o diagnóstico de que o aumento e a regularidade da atividade física contribuem para garantir mais energia e vigor no seu dia a dia.

Portanto, se você quer um cotidiano com mais energia e disposição, evite consumir bebidas alcoólicas e cafeína em excesso, mantenha uma alimentação saudável e pratique exercícios físicos regulares, uma vez que o sedentarismo e a alimentação desregrada também estão ligados ao problema.

Entenda como os distúrbios do sono podem provocar doenças sérias, como diabetes e problemas cardiovasculares, e invista no diagnóstico adequado!

Maus hábitos de sono

Dormir muito tarde pode afetar seu nível de energia durante o dia. A maioria dos adultos precisa de sete a nove horas de sono por noite. Se você tem o hábito de ficar acordado até tarde, mas precisa estar de pé cedo, corre o risco de descansar menos do que precisa.

Pratique melhores hábitos de sono para aumentar sua energia. Vá para a cama mais cedo e tome medidas para melhorar a qualidade do seu sono:

  • Durma em um quarto escuro, silencioso e confortável;
  • Evite atividades estimulantes antes de dormir, como praticar exercícios;
  • Evite assistir TV usar dispositivos eletrônicos na cama;
  • Deite-se e acorde sempre nos mesmos horários.

Se o seu sono não melhorar com esses novos hábitos, converse com seu médico. Você pode precisar de algum tipo de medicação específica ou um estudo do sono.

Distúrbios do sono

Em certos casos, os distúrbios do sono são apenas uma causa subjacente da fadiga. Se o seu nível de energia não melhorar após algumas semanas ou depois de fazer as modificações corretas no estilo de vida, converse com seu médico. Pode ser necessário consultar um especialista em sono.

Um distúrbio do sono, como a apneia do sono, pode estar causando essa sensação contínua de cansaço. A apneia do sono ocorre quando sua respiração pausa enquanto você dorme. Como resultado, seu cérebro e corpo não recebem oxigênio suficiente à noite, o que acaba levando à fadiga diurna.

A apneia do sono é uma condição séria: pode causar pressão alta, baixa concentração e levar a um derrame ou ataque cardíaco.

O uso contínuo de alguns medicamentos, como anti-histamínicos e xaropes para tosse, também é um dos causadores desse cansaço desproporcional.

Estresse

O estresse crônico pode causar dores de cabeça, tensão muscular, problemas de estômago e fadiga.

Quando você se sente estressado, seu corpo entra no modo de luta ou fuga. Isso causa um aumento na produção de cortisol e adrenalina, o que prepara seu corpo para lidar com essas situações. Em pequenas doses, essa resposta é segura. No caso de estresse crônico ou contínuo, isso pode afetar os recursos do seu organismo, deixando-o exausto.

Aprender a controlar o estresse pode melhorar seu nível de energia. Comece definindo limitações, criando metas realistas e praticando mudanças nos seus padrões de pensamento. Exercícios de respiração profunda e meditação também podem ajudá-lo a manter a calma em situações estressantes.

Depressão

Assim como o estilo de vida, questões psicológicas também podem estar por trás da fadiga. Quadros de depressão e ansiedade muitas vezes têm o cansaço desproporcional e a falta de energia para a realização das atividades diárias como um dos seus principais sintomas.

Se você estiver apresentando sintomas ligados à depressão, converse com seu médico e discuta as opções de tratamento.

O seu médico pode prescrever um antidepressivo ou um medicamento antiansiolítico. Você também pode se beneficiar do aconselhamento em saúde mental. A terapia comportamental cognitiva é um tipo de tratamento que ajuda a corrigir padrões de pensamentos negativos que levam a um humor e depressão negativos.

Condições médicas

A fadiga surge como sintoma de uma infinidade de doenças com as mais variadas origens, tais como:

  • Hiper ou hipotireoidismo: ainda que sejam distúrbios opostos, ambos têm a fadiga como sintoma. No primeiro caso, a aceleração do metabolismo faz com que o corpo realize um esforço desnecessário e sinta-se cansado mesmo sem praticar atividade física. Já no hipotireoidismo, as alterações metabólicas deixam o organismo mais lento, provocando esgotamento ainda que não haja nenhum esforço;
  • Diabetes: sentir-se cansado o tempo todo também pode ser um sintoma de diabetes. Quando você tem diabetes, seu corpo não produz insulina suficiente. Isso pode causar alto nível de açúcar no sangue, o que pode afetar sua concentração e deixá-lo cansado, desidratado e irritado;
  • Anemia: a doença provoca uma diminuição da hemoglobina, substância que é responsável pela diminuição do transporte de oxigênio e nutrientes pelo sangue, o que aumenta o trabalho do coração e provoca o cansaço extremo;
  • Síndrome das pernas inquieta: as pessoas que sofrem com este problema relatam sensações de rastejamento, puxão ou formigamento que causam um desejo irresistível de mover as pernas. Esse fenômeno geralmente ocorre quando uma pessoa está tentando adormecer, dificultando o sono. Também podem ocorrer movimentos durante o sono, acordando parcialmente a pessoa (mesmo que ela não perceba) e interrompendo os padrões de sono;
  • Alergia ao glúten: a proteína que forma o glúten causa uma irritação no intestino, o que diminui a absorção de outros nutrientes e, entre os problemas, provoca a fadiga;
  • Síndrome da fadiga crônica: você pode se sentir cansado o tempo todo se tiver síndrome de fadiga crônica, uma condição que causa fadiga extrema – que não melhora com o sono. Sua causa é desconhecida e não há teste para confirmar a fadiga crônica. O seu médico deve excluir outros problemas de saúde antes de fazer um diagnóstico. O tratamento envolve aprender a viver dentro de suas limitações físicas ou andar sozinho. Exercícios moderados também podem ajudá-lo a se sentir melhor e aumentar sua energia;
  • Doenças cardiovasculares: quando o coração está fragilizado ou dilatado, não bombeia sangue com a eficiência habitual, provocando fadiga mesmo após a realização de tarefas simples, como pequenas caminhadas. Portanto, esse é um dos primeiros sintomas de que algo não vai bem com o órgão;
  • Fibromialgia: a fibromialgia causa dor e sensibilidade muscular generalizada. Essa condição afeta os músculos e tecidos moles, mas também pode causar fadiga. Por causa da dor, algumas pessoas com a condição não conseguem dormir à noite. Isso pode levar à sonolência e fadiga durante o dia. Tomar um analgésico de venda livre pode ajudar a melhorar a dor e o sono. Além disso, algumas pessoas tiveram resultados positivos com o uso de um antidepressivo prescrito pelo por um profissional da saúde, além de fisioterapia e exercícios.

Causas de fadiga relacionadas ao ambiente de trabalho

Como você pode ver no tópico anterior, a fadiga pode ter inúmeras causas – e o seu ambiente de trabalho pode ter alguns fatores de risco para iniciar ou agravar esse quadro. Veja a seguir:

  • Trabalho por turnos: o corpo humano é projetado para dormir durante a noite. Esse padrão é definido por uma pequena parte do cérebro conhecida como relógio circadiano. Um trabalhador de turno pode fazer seu relógio circadiano entrar em colapso trabalhando justamente no período em que seu corpo é programado para dormir;
  • Práticas inadequadas no local de trabalho: alguns fatores podem aumentar o nível de fadiga de uma pessoa. Isso pode incluir longas horas de trabalho, trabalho físico duro, horas de trabalho irregulares (como turnos rotativos), um ambiente de trabalho estressante (como ruídos excessivos ou temperaturas extremas), tédio, trabalhar sozinho com pouca ou nenhuma interação com outras pessoas ou concentração fixa em uma tarefa repetitiva;
  • Estresse no local de trabalho: o quadro pode ser causado por uma ampla gama de fatores, incluindo insatisfação no trabalho, carga de trabalho pesada, conflitos com chefes ou colegas, intimidação, mudança constante ou ameaças à segurança no trabalho;
  • Burnout: pode ser descrito como se esforçar demais em uma área da vida enquanto negligencia todo o resto. Os workaholics, por exemplo, colocam todas as suas energias em sua carreira, o que coloca em desequilíbrio a vida familiar, social e os interesses pessoais;
  • Desemprego: pressões financeiras, sentimentos de fracasso ou culpa e o esgotamento emocional da procura prolongada de emprego podem levar ao estresse, ansiedade, depressão e fadiga.

Quais são as principais consequências da fadiga no dia a dia?

Como você já sabe, a fadiga é caracterizada por uma sensação de enorme desgaste e de falta de energia. Sabemos como ela pode afetar as pessoas: os olhos ficam meio caídos, elas não estão tão alertas e atentas como de costume e parece que tudo o que elas têm em mente é o momento em que vão poder voltar para suas camas e dormir novamente.

Mas o nosso corpo é uma coisa complexa – e a fadiga pode afetar sua saúde e suas funções corporais de inúmeras maneiras.

Além de diminuir a produtividade e o bem-estar, em algumas profissões, como aeronautas, cirurgiões e operadores de máquinas pesadas, por exemplo, a fadiga pode causar problemas graves e até mesmo colocar vidas em risco. Saiba mais a seguir:

Apetite

A fadiga não apenas causa estragos em suas emoções, sua pele e sua mente – ele também pode mexer com seu apetite.

Quando você está cansado, seu corpo passa a buscar por mais ‘combustível’. A maneira mais fácil de aumentar seu nível de energia rapidamente é consumir alimentos mais gordurosos, com alto teor de açúcar, carboidratos e calorias.

O ideal é se policiar para evitar cair nessa armadilha. Mas se for impossível, tente trocar seus desejos iniciais por carboidratos saudáveis ​​(como frutas e vegetais ricos em amido), proteínas ou gordura saudável.

Peso

Como você pode ver no item anterior, existe uma conexão muito intensa entre fadiga e excesso de peso. Estudos demonstraram que aquelas horas a menos de sono podem influenciar os níveis de glicose e hormônios no sangue (como a diminuição da leptina e o aumento da grelina), que alteram negativamente o metabolismo e aumentam a fome.

Além desta questão científica entre fadiga e peso corporal, há também um fator psicológico: quando você está cansado, se sente menos disposto a fazer atividade física – o que pode acarretar em um possível ganho de peso.

Para fugir deste cenário, o melhor caminho é fazer coisas que ajudem a acelerar o seu metabolismo:

  • Faça refeições regulares;
  • Pratique exercícios aeróbicos regularmente;
  • Mantenha-se ativo andando todos os dias;
  • Durma o suficiente.

Humor

O cansaço pode fazer com que as pessoas fiquem mais temperamentais e irritadas do que o habitual. A fadiga pode ter um impacto significativo no humor, com aumento do estresse, raiva, tristeza e exaustão mental.

Quando a fadiga é acompanhada por sintomas como dores pelo corpo e privação de sono, isso pode tornar todo o quadro ainda pior. Por isso, se você sofre com longos períodos de fadiga, deve procurar seu médico e fazer um check-up o mais rápido possível.

Memória

Não, não é apenas coincidência que você ache mais difícil lembrar os nomes das pessoas ou palavras específicas quando estiver sofrendo de cansaço extremo.

A fadiga pode fazer com que o indivíduo se sinta cansado, com sono e sem foco, tornando um enorme desafio se concentrar ou ser eficaz no trabalho.

Quando a exaustão se intensifica, sua memória pode ser bastante impactada. Isso é cientificamente comprovado: um estudo mostrou que pacientes com síndrome de fadiga crônica têm o desempenho prejudicado em tarefas difíceis, que exigem uma atuação planejada ou auto ordenada de respostas da memória.

Mas isso não deve ser desculpa para abusar do café durante o expediente: a curto prazo, as bebidas com cafeína são úteis, aumentando seu nível de energia. Mas vale lembrar que elas podem afetar seus padrões de sono a longo prazo – então pegue leve no café depois das 14h.

Fadiga pode ser um sinal de que sua saúde precisa de atenção

Como a fadiga é diagnosticada?

Como o quadro pode apresentar uma vasta gama de sintomas e ser causado por muitos fatores diferentes trabalhando em conjunto, o diagnóstico pode ser difícil. O seu médico pode diagnosticar a fadiga usando vários testes, incluindo:

  • Histórico médico: eventos recentes – como parto, uso de medicação, cirurgia ou luto, ou certas condições médicas podem contribuir para a fadiga;
  • Exame físico: para verificar possíveis sinais de alguma doença que envolva a fadiga como sintoma. O seu médico também pode fazer perguntas detalhadas sobre sua alimentação, estilo de vida e acontecimentos recentes;
  • Check-up médico: o profissional pode solicitar exames de sangue, exames de urina, raio-x e outras investigações. O objetivo aqui é descartar qualquer causa física, como anemia, infecção ou problemas hormonais.

Descubra como tratar a fadiga

Como você pode ver, quem sofre com o problema também costuma apresentar dificuldade para se concentrar, para tomar decisões e reter informações, o que prejudica a sua atuação acadêmica e profissional e diminui consideravelmente a qualidade de vida. Portanto, é fundamental zelar sempre pela sua saúde física e mental visitando regularmente o médico e fazendo check-ups preventivos.

Dessa maneira, qualquer eventual doença que provoque a fadiga poderá ser detectada e tratada precocemente. As perguntas que um médico pode fazer durante a consulta incluem:

  • Você se sente sonolento ou fraco?
  • Você se sente triste ou deprimido?
  • O seu cansaço se desenvolveu lenta ou repentinamente?
  • É cíclico ou constante?
  • Qual você acha que a causa pode ser?
  • Você passou por algum evento significativo da vida recentemente?
  • Sua vida está em equilíbrio? Considere trabalho, relacionamentos, físico, emocional, social, senso de valor e recreação.

O seu médico também pode solicitar:

  • Um estudo sobre o seu histórico de sono, incluindo quanto sono você dorme a cada noite, qual é a qualidade do seu sono e se você ronca, acorda ou para de respirar durante a noite;
  • Realização de exames físicos para verificar se há sinais de doença ou doença;
  • Pedido de exames de sangue, fezes e urina com o objetivo de descartar causas físicas.

Gostou de entender melhor a diferença entre cansaço e fadiga? Se você quer cuidar melhor da sua saúde, conheça os programas de check-ups oferecidos pelo Vita Check-Up Center!

Contamos com tecnologia de ponta e infraestrutura completa para cuidar do seu bem mais precioso com rapidez e segurança!

Compartilhe
×